Histórico

Com a criação da Escola de Comunicações e Artes da USP em 1966, surge também a Biblioteca da ECA, inicialmente vinculada à antiga Biblioteca Central da USP e posteriormente, em 1970,  ao Departamento de Biblioteconomia e Documentação (CBD). Desvinculou-se desse Departamento em  1973.

Em maio de 1970 a Biblioteca da ECA é inaugurada oficialmente, abrindo suas portas com cerca de 1.000 livros e 50 títulos de periódicos. Em junho, julho e setembro do mesmo ano, incorporou respectivamente as doações de Francisco Matarazzo Sobrinho, constituída por livros de arte;  a Biblioteca da Escola de Arte Dramática, contendo livros, periódicos, peças e programas de teatro; a hemeroteca do Departamento de Jornalismo e Editoração, composta de revistas e recortes de jornais. A incorporação de doações importantes com materiais variados, como discos, fitas de áudio, partituras e slides, dava forma a um acervo diversificado, fundamental para apoiar e complementar o universo amplo de atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas na ECA.

Com o crescimento acelerado e coleções em suportes cada vez mais diversificados, a Biblioteca cria projetos e grupos de estudos voltados ao desenvolvimento de sistemas de organização, armazenamento e tratamento da informação, para possibilitar a implantação de novos serviços. Lança diversas publicações especializadas como bibliografias e catálogos, visando divulgar o acervo e orientar os pesquisadores. Torna-se pioneira na organização da documentação audiovisual e musical, desenvolvendo metodologias específicas para o tratamento desse tipo de coleção.

A criação de setores para agrupar e organizar as diversas coleções e oferecer atendimentos especializados torna-se inevitável. Em 1972 foi criada a Fonoteca, com um acervo de discos, partituras e fitas cassetes e, em 1978, a Filmoteca, que incorporava os filmes produzidos pelos alunos do Departamento de Cinema, Rádio e TV.

Em 1986 a Biblioteca tem seu primeiro organograma aprovado, deixando de ser uma seção da Escola, passando a Serviço de Biblioteca e Documentação. Além de estruturar novos serviços e seções, o organograma ampliou o quadro funcional, possibilitando o aperfeiçoamento dos serviços oferecidos.

A nova estrutura organizacional foi implantada em 1987 e a Biblioteca começava a se preparar para o processo de automação. Os computadores já eram utilizados para a realização de alguns serviços, como o processamento de partituras e cadastros para controles de aquisição. Superando a falta de equipamentos e assessoria técnica, a equipe capacita-se e, gradualmente, os serviços são informatizados. O processo de informatização dos catálogos da Biblioteca tem início em 1991, ano em que uma nova estrutura é aprovada e os acervos da Fonoteca e Filmoteca são unidos na Seção de Multimeios.

A Oficina de Encadernação e Restauro, criada em 1994, estabeleceu uma cultura de conservação que transformou o acervo da Biblioteca, e incluiu uma experiência pioneira de capacitação na área, que atingiu funcionários, usuários e público externo.

Em 1997 a Biblioteca ganha novo espaço, com uma reforma total, mobiliário e equipamentos novos financiados pela FAPESP.

Em 1998 o empréstimo automatizado é implantado.

A Biblioteca lança seu primeiro website em 2001. Contando com assessoria técnica eventual, contratada informalmente, a equipe assume o desenvolvimento e criação de conteúdo do site.

A partir de 2009 a Biblioteca entra nas redes sociais, criando inicialmente um blog e perfis no Twitter e Flickr para divulgação de serviços e outros conteúdos. Outras ferramentas são incorporadas nos anos seguintes: atendimento online, perfis no Facebook, Pinterest e Pearltrees, com a finalidade de estabelecer formas de comunicação mais dinâmicas e informais com o público.

Em 2010 é lançado um novo site para a Biblioteca, incorporado ao da Escola.  O empréstimo passa a ser unificado entre as Bibliotecas da USP.

Em 2012 e 2013 são aprovados pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária, respectivamente, os projetos Conservação dos álbuns de fotografias de Leon Kaniefsky, proposto por  Cecilia Moraes Silva (já concluído) e Preservação das Obras Raras doadas por Francisco Matarazzo Sobrinho à USP: acervo da Biblioteca da ECA, proposto por  Silvana Rodrigues Leite (aguardando liberação de verba).

Fotos: https://flic.kr/s/aHskru3JFj