Pesquisa

As pesquisas realizadas pelo CBD têm como objetivo estimular a instituição de políticas públicas voltadas para a àrea de biblioteconomia, além de apontar para a necessidade de novas configurações no perfil do profissional da área, para melhor inserí-lo no contexto contemporâneo de produção e disseminação de informações.

Representantes:
Prof. Dr. Pedro Luiz Cortês (titular)
Prof. Dr. Ivan Claudio Pereira Siqueira (suplente)

O Departamento de Informação e Cultura da USP conta com os seguintes Centros de Pesquisa:


Colabori – Colaboratório de Infoeducação

Profa. Dra. Ivete Pieruccini

 

O Colaboratório de Infoeducação – COLABORi-  resulta de um processo sistemático de estudos, iniciado em 1989, no Departamento de Biblioteconomia e Documentação, tendo como objeto os processos de apropriação social da informação e da cultura, em especial, da cultura escrita e seus dispositivos. Em 1993, surge o PROESI – Programa Serviços de Informação em Educação, reunindo diversos professores/pesquisadores, e que, em 2000 passou a denominar-se Núcleo de Pesquisa em Infoeducação. Entre 1993 e 2000 foram realizados vários projetos, com a colaboração de parceiros da USP e de fora da USP: Oficina de Informação, com a COSEAS-USP, visando ao desenvolvimento de um ambiente informacional para crianças de 0 a 6 anos; Biblioteca Interativa, parceria com uma escola municipal, em São Paulo, visando um novo conceito de biblioteca escolar; Estação Memória, com a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, para a implantação de um ambiente de informação e cultura intergeracional; REBI-Rede Escolar de Bibliotecas Interativas, com a Secretaria de Educação de São Bernardo do Campo, para a criação de uma rede de bibliotecas escolares. O desenvolvimento da área de estudos da Infoeducação está pautada pelos seguintes temas de pesquisa: os conceitos de  Estação do Conhecimento, Formação em rede de mediadores/infoeducadores, Ordem Informacional Dialógica, Pesquisa Colaborativa, Saberes informacionais.


CPT – Centro de Pesquisa e Tecnologia de Produção Científica

Prof. Dr. Marcos Luiz Mucheroni

 

Constituído em 1992 no Departamento de Biblioteconomia e Documentação, atualmente incorpora discussões de Redes Sociais e uso de Tecnologia para maior visibilidade e acesso a produtos de informação e comunicação. Ao longo de 20 anos de existência caracterizou-se por estudar o desenvolvimento, a produção e a avaliação da pesquisa em diversas áreas do conhecimento; sendo a sua divulgação, em especial em revistas, um dos aspectos mais analisados, em diversas áreas do conhecimento. O surgimento das revistas eletrônicas, outras que se tornaram híbridas, mantendo a forma impressa mas disponível também no formato digital, enquanto outras agora existem somente no formato digital e on-line, além do movimento de Acesso Aberto, causou uma ampliação do processo de circulação e acesso à produção científica. O CPT se caracteriza pela necessidade de analisar os avanços atuais decorrentes das transformações que os meios eletrônicos trouxeram e deram nova visibilidade, influenciando aspectos da comunicação e da circulação da produção científica, agora não apenas nos meios acadêmicos, mas disponíveis na Web, para toda a sociedade, transpondo barreiras e criando novas formas de comunicação.


Observatório de Histórias em Quadrinhos

Prof. Dr. Waldomiro de Castro Santos Vergueiro

 

O Observatório é um grupo interdepartamental e interunidades da Escola de Comunicações e Artes da USP, reúne docentes e pesquisadores envolvidos em projetos com histórias em quadrinhos e narrativas gráficas. Seu objetivo é promover e realizar pesquisas, cursos, seminários, consultorias, edição e atividades de natureza acadêmica.


Laboratório de Cultura, Informação e Público (LACIP)

Prof. Dr. Luíz Augusto Milanesi e Profa. Dra.Lúcia Maciel Barbosa de Oliveira

 

Horário de atendimento: Segunda a Quinta-feira - 09h às 12h
Telefone: 2648-1469

 

São objetivos do LACIP:

  • Desenvolver estudos das relações entre os campos da Cultura, Informação e Público;
  • Organizar cursos, seminários, congressos, workshops, exposições, dentro e fora do país, bem como desenvolver plataformas em meios digitais que forem julgadas de interesses para os fins do LaCIP;
  • Prestar assessoria a entidades públicas e privadas;
  • Publicar estudos e guias sobre o seu campo temático específico;
  • Manter intercâmbio com instituições nacionais e estrangeiras que atuem no mesmo campo de ação.