Notícias

A Escola de Arte Dramática (EAD) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP) faz sua abertura de processo

                                                      

                                                             “RINGUES POLIFÔNICOS”

 

Espetáculo construído a partir de repertório escolhido de poesia brasileira. São 25 autores brasileiros e uma autora portuguesa compondo um repertório de 42 poemas encenados pelos alunos-atores da turma 68 da Escola.

 

SERVIÇO

Apresentações dias: 25, 26 e 27 de junho de 2017

Domingo às 19h, Segunda e Terça às 20h

Teatro Laboratório – Sala Miroel Silveira

 

Rua da Reitoria, 215 – (travessa da Av. Prof. Luciano Gualberto)- Cidade Universitária - Butantã

Fone 3091-4376

Duração – 70 minutos – CLASSIFICAÇÃO MAIORES DE 14 ANOS

Entrada franca

 

A bilheteria abre 1 hora antes do espetáculo

 

FICHA TÉCNICA

 

Seleção de textos, direção cênica e coordenação geral – Silvana Garcia

Elenco (turma 68) – Álvaro Henrique Lara costa, Augusto OrtaleTrainotti, Camila Augusto Florio, Carolina Forato Froes, Dawton Abranches Pulhez, Ellen Regina Pereira, Emerson Dias da Silva, Gabriel Edeano Silva Reis, Gabriela Scheibe Adams, Giulia Rodrigues Do Ouro, Herácliton Caleb de Oliveira Silva, Isabela Carolina Rossi, Josefa Elaine Duarte da Silva, Larissa Nascimento Nunes Silva, Luísa Pinti Dias, Michel Waisman Kleinas, Murilo Alves Santana, Samya Gerbasi Pascotto, Wellington Lourença Bonfim.

 

Coordenação de figurino: Samya Pascotto

 

Professores colaboradores neste processo: Ana Miranda(corpo), Carmina Juarez(canto) e Mônica Montenegro(voz)

 

Acompanhamento do processo de criação – Zi Arrais

 

Apoio Técnico – Denilson Marques e Mário de Castro (iluminação),  Zito Rodrigues (cenotécnica)

 

Produção, divulgação e bilheteria – Bertha S. Heller

 

____________________________________________________________

 

A Escola de Arte Dramática (EAD) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP) apresenta

 

“NHANHOMOIRUMBA UM PANFLETO-ESQUIVA”

Direção: JOSÉ FERNANDO PEIXOTO DE AZEVEDO

 

NHANHOMOIRUMA: UM PANFLETO-ESQUIVA é o resultado de um primeiro contato com aspectos da cultura indígena. A leitura de textos de autores como Ailton Krenak,Eduardo Viveiros de Castro e Davi Kopenawa, entre tantos outros, ganhou novos contornos com a convivência de alguns dias numa aldeia Guarani em São Paulo, a Kalepety. A experiência da troca e a aproximação à mobilização política indígena no momento atual do país fizeram com que o grupo se interrogasse sobre o significado possível de uma aliança política hoje.

O título em guarani traduz essa palavra de uma maneira reveladora. O grupo pediu a uma líder guarani que traduzisse para a sua língua a palavra “aliança”. Ela nos deu essa versão que, devolvida ao português quer dizer algo próximo de: aquilo que eu e você decidimos fazer juntos, e fazemos, como amigos.

Aliança e esquiva – esta última como sendo o modo guarani de ira à luta: misturando sem se confundir com outro, desviando sem se furtar ao combate; nomeando o inimigo sem desconhecer suas artimanhas; reconhecendo o mundo como um mundéu, mas politizando as marcas do engano.

A peça é um “panfleto teatral”. Exigência poética dos confrontos atuais

 

FICHA TÉCNICA

 

Concepção e Direção Geral: José Fernando Peixoto de Azevedo

Roteiro: José Fernando Peixoto de Azevedo e Turma 67 da EAD

Assistenta de direção e preparação corporal: Lucas Brandão

Co-direção e preparação corporal: Tarina Quelho

Direção Musical: José Calixto

Preparação para Canto: Carmina Juarez

Assessoria para trabalho de voz: Mônica Montenegro

Figurino: Kabila Aruanda

Costureira: Silvana Carvalho

Desenho de Luz: Denilson Marques

Apoio Técnico: Mario de Castro

Cenotécnicos: Zito Rodrigues e Nilton Ruiz

Programação visual (programa cartaz): Lucas Brandão e Lucas Corbucci

Colaboração Teórica: Daniel Pierri, Emir Tomazelli, Guilhermoso Wild, João Felipe Domiciano, Lucas Keese, Maria Thaís, Tales Ab’Saber, Valéria Macedo

Workshops para Música Guarani: Jurandir Augusto Martins, Marlui Miranda

Vivência Processual: Tekoa Kalepety – Terra Indígena Tenondé Porã

Produção Executiva e bilheteria: Bertha S. Heller

 

Serviço

29 de junho a 23 de julho de 2017 – Quinta a sábado às 21h . Domingo às 20h

 

TEATRO LABORATÓRIO ECA – Sala Alfredo Mesquita – 60 lugares

Rua da Reitoria, 215 – (travessa da Av. Prof. Luciano Gualberto)- Cidade Universitária - Butantã

Fone 3091-4376

Duração –120 minutos – CLASSIFICAÇÃO MAIORES DE 16 ANOS

A bilheteria abre 1 hora antes do espetáculo

 

ENTRADA GRATUITA

_________________________________________________________________