Pesquisas em ciências humanas são inovadoras, transformadoras… e ignoradas

22/08/2016

“Pesquisadores da área estão dando grandes passos em setores que vão desde a sustentabilidade até a robótica – e por que tão poucas pessoas conhecem seus trabalhos?”, questiona Gretchen Busl, professora da Texas Woman’s University, nos EUA, em artigo para o jornal The Guardian

No fundo do corredor do departamento de Inglês da Universidade de Stanford, a estudante Jodie Archer desenvolveu um modelo de computador que pode prever os best-sellers do New York Times. Sua pesquisa, prestes a ser publicada, rendeu-lhe um cargo alto na Apple iBooks e pode revolucionar a indústria editorial. Na Universidade de Notre Dame, o filósofo Don Howard trabalhou com um cientista da computação para desenvolver um código de ética para “interação homem-robô” que poderia mudar a maneira como o Vale do Silício projeta robôs.

Ambos os estudiosos compartilham a formação acadêmica em ciências humanas. E eles se juntam a inúmeros outros que trabalham em áreas como tecnologia, sustentabilidade ambiental e até mesmo controle de doenças infecciosas.

O artigo completo está disponível em inglês: The Guardian