Presidente do CNPq apresenta nova proposta de avaliação de projetos em CT&I

13/09/2016

O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Hernan Chaimovich, apresentou  um novo formato de gestão e avaliação de  projetos em Ciência, Tecnologia e Inovação que está em discussão no CNPq, e que tem como prioridade o impacto social, intelectual e econômico do estudo. A apresentação foi feita para representantes de sociedades associadas da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e outros membros da comunidade científica, que se reuniram ontem na sede da SBPC em São Paulo.

Chaimovich falou sobre a importância de mudar a maneira de avaliar a qualidade da ciência, muito focada em números e resultados, quando se deveria pensar no impacto que esse conhecimento deve ter na sociedade. “A comunidade científica está muito acostumada a apresentar resultados; isso é a mesma coisa que uma pessoa dizer que vai apresentar uma lavadora de roupas contando as peças, muito orgulhoso porque o número de parafusos aumentou 25%. Mas ninguém mostra se esta máquina  é melhor que qualquer lavadora que exista. Isso é a diferença entre resultado e impacto”, explica.

Para o presidente do CNPq, a ciência deve gerar impacto intelectual, social e econômico. Por impacto intelectual, ele descreve as ideias que produzem novas ideias, que fazem a humanidade mais sábia e que permitem formar gerações de novas ideias. Já o impacto social está relacionado ao conhecimento produzido capaz de influenciar políticas públicas, que possa diminuir a desigualdade, ou mesmo que possa reduzir, por exemplo, o tempo de espera na fila do SUS; ou, ainda, que aumente o envolvimento social com a ciência. Por fim, o impacto econômico corresponde às ideias que criam empresas e geram empregos, que aumentam a competitividade e criam setores industriais.

Texto na íntegra