"Diversidade em Ciência" trata o teatro como expressão da memória negra

01/12/2018 14:00
01/12/2018 15:00

Na próxima edição do programa semanal Diversidade em Ciência, da Rádio USP 93,7, o tema abordado será o teatro como uma expressão da memória negra. As entrevistadas são a atriz e pesquisadora Cyda Baú e a diretora, atriz, educadora Gabriela Rabelo, que é doutora em Teoria e História do Teatro pelo Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da ECA. O programa será exibido no dia 1 de dezembro, às 14h, pela Rádio USP, on-line ou sintonizando no rádio 93,7.


Cyda Baú, à esquerda e Gabriela Rabelo, à direita, no estúdio do Diversidade em Ciência. Foto: Ricardo Alexino Ferreira

As entrevistadas abordarão a temática a partir da obra teatral Os rastros das Marias, dirigida por Gabriela Rabelo. Trata-se de um monólogo com Cyda Baú sobre sua biografia, desde seu nascimento em um quilombo de Minas Gerais, passando por várias cidades, até se tornar uma atriz reconhecida. A peça está em cartaz no Teatro do Incêndio, na cidade de São Paulo, e ainda será exibida nos 5 e 6 de dezembro.

Cyda Baú ganhou destaque por sua atuação nas novelas Esmeralda e Carrossel, do SBT, e O quinto dos infernos, minissérie da TV Globo, entre outras participações importantes. Para a atriz, sua jornada é semelhante a de mulheres negras que marcaram a história. É um ato de resistir à sociedade racista.

A diretora do monólogo, Gabriela Rabelo, formada pela ECA, se destaca pelos prêmios como atriz e autora. Foi a primeira mulher a conquistar o Prêmio de Melhor Dramaturgia em Língua Portuguesa, pelo Instituto Camões e Funarte, em 2013, e os prêmios Mambembe e Molière.

O programa Diversidade em Ciência é voltado para divulgação científica envolvendo diversidade e direitos humanos, idealizado pelo docente Ricardo Alexino Ferreira, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), pesquisador de estudos raciais na mídia. As gravações são feitas nos estúdios da ECA.