Cibercultura é discutida em seminário internacional

 
Professores Massimo Di Felice e Jorge Sánchez
 
O professor Jorge Alejandro González Sánchez, pesquisador do Centro de Investigaciones Interdisciplinarias en Ciencias y Humanidades (CEIICH) da Universidade Nacional Autônomade México, (UNAM),  esteve na ECA na última sexta-feira ( 21) para ministrar  a palestra  “Cibercultur@ com @:Culturas da Informação, Comunicação e Pesquisa”, no Seminário Internacional do Atopos.
Além das questões acerca da comunicação e mundo digital, o professor Jorge abordou temáticas mais sociológicas e filosóficas. Enfatizou temas como a exclusão digital e os contextos das realidades mexicanas e brasileiras em comparação com outros países mais desenvolvidos economicamente.

“Devemos cultivar nossa capacidade inteligente de autodeterminação, a cultura de comunicação tem a ver com a forma que conversamos com o mundo, a cultura tem que vir de dentro”, afirmou o professor. Ressaltou ainda, que a academia é muito conservadora e que não deveria existir tanta verticalização nas relações.

Jorge é o coordenador e fundador do Laboratorio de Investigación y Desarrollo en Comunicación Compleja, LabCOMplex, no CEIICH-UNAM. Outros pesquisadores do Laboratório também participaram do debate após a palestra. Ele apoia a investigação, diz que é importante compartilhar experiências com outros pesquisadores e que é fundamental encontrar soluções para problemas concretos e reais.
Para o professor Massimo Di Felice, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) e coordenador do  Centro de Pesquisa Atopos, a comunicação digital e a cibercultura propõem uma nova forma de fazer pesquisas com dispositivos que quebram a ordem gerada na universidade. Ele disse ainda que “as redes digitais disponibilizam informações a todos através da tecnologia e podem criar novas formas de construção de inteligência colaborativas e horizontais”.