Adilson Barros, egresso da EAD, é homenageado em teatro de São Paulo

Desde a última quinta-feira, 4 de julho, a sala de espetáculos do Teatro Commune, no centro de São Paulo, se chama Sala Adilson Barros. A homenagem ao ator e diretor teatral, formado na Escola de Arte Dramática (EAD), foi marcada também pela inauguração de uma exposição com 58 fotos e por um coquetel em que amigos do artista compartilharam histórias sobre ele. 

Nascido em Sorocaba em 1947 e morto aos 50 anos por complicações de saúde decorrentes da Aids, Adilson ajudou a criar a Cooperativa Paulista de Teatro e foi um dos docentes fundadores do Departamento de Artes Cênicas da UNICAMP.


Adilson Barros, à esquerda, com o elenco de Feliz Ano Velho. Foto: Divulgação / O Estado de S. Paulo

Ao lado de outros ex-alunos da EAD, como Paulo Betti, Eliane Giardini, Reinaldo Santiago e Marcília Rosário, fundou nos anos 70 o grupo de teatro Pessoal do Victor, com o qual realizou montagens de sucesso. Adilson recebeu vários prêmios com as peças Na Carreira do Divino, de Carlos Alberto Soffredini, Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva, Cerimônia para um Negro Assassinado, de Fernando Arrabal, O Pagador de Promessas, de Dias Gomes, entre outras. No cinema, seu papel de maior destaque foi ao lado de Fernanda Torres, interpretando o Nhô Quim de A Marvada Carne, dirigido pelo também ex-ecano André Klotzel. 

A exposição fotográfica de Adilson Barros permanece em cartaz até o final de setembro e pode ser conferida de segunda a sexta-feira das 12h às 21h e sábado e domingo das 16h às 21h. O Teatro Commune fica na Rua da Consolação, 1218.