Congregação da ECA aprova moção em apoio à UFMG

A Congregação da ECA aprovou em reunião realizada no dia 13 de dezembro uma moção de apoio e solidariedade à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) que, no último dia 6 de dezembro, teve seu reitor e vice-reitora como alvos de condução coercitiva pela Polícia Federal, em investigação que apura o suposto desvio de recursos públicos para construção do Memorial da Anistia Política do Brasil.

A seguir, o documento na íntegra:

A Congregação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, em reunião ordinária realizada no dia 13 de dezembro de 2017, manifesta seu total apoio e solidariedade à comunidade da Universidade Federal de Minas Gerais em face dos acontecimentos do último dia 6, quando dirigentes e ex-dirigentes da instituição foram alvo de condução coercitiva da Polícia Federal em operação que apura suposto desvio de recursos públicos.
 
Somos a favor da investigação firme, isenta e com a devida transparência, de fatos e indícios de desvios de conduta, em quaisquer instâncias da gestão pública. No entanto, repudiamos a extrapolação de poderes e a espetacularização das ações das autoridades judiciais e da Polícia Federal – evidentes no excessivo número de agentes envolvidos, na ampla repercussão midiática e na falta de esclarecimentos quanto aos motivos que levaram a tais operações e ao envolvimento das pessoas investigadas. Por fim, manifestamos nossa indignação diante do julgamento público e condenação social prévia de qualquer cidadão, sobretudo em instituições acadêmicas de ensino superior que há décadas contribuem significativamente para o desenvolvimento do país. 
 
São Paulo, 13 de dezembro de 2017.
Congregação da ECA