Congregação da ECA indica docentes para Prêmio USP Inovação

A Congregação da ECA aprovou a indicação de dois docentes para o Prêmio USP Inovação, realizado pela Agência USP de Inovação (AUSPIN) e pela Pró-Reitoria de Pesquisa. Na categoria Trajetória pela Inovação, o professor Leandro Leonardo “Leleba” Batista, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP), foi indicado. Já para a premiação In Memoriam, o escolhido foi José Marques de Melo, um dos fundadores do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE).  

O primeiro doutor 

José Marques de Melo entrou na então Escola de Comunicações Culturais em 1967. Seis anos depois, defenderia seu doutorado em Ciências da Comunicação na ECA – nessa época já com o nome conhecido atualmente. Tornou-se o primeiro doutor em jornalismo no Brasil.


José Marques de Melo, indicado ao prêmio In memorian. Foto: Portal INTERCOM

Uma de suas maiores contribuições foi a criação do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE). Marques de Melo chefiou o departamento por vários anos e também foi diretor da ECA de 1989 a 1993, ano de sua aposentadoria. Sua atividade na Universidade foi interrompida de 1974 a 1979, devido ao regime militar. Mas, com a anistia, em 1979, conseguiu voltar à USP, com regime de dedicação exclusiva. 

“O professor José Marques de Melo foi uma pessoa fundamental para o jornalismo brasileiro. Foi um jornalista que agregou duas coisas importantes: além do rigor acadêmico e de ter sido um bom professor no sentido didático, ele também foi um empreendedor, marca importante e rara”, comenta o professor André Chaves de Melo Silva, atual chefe do CJE.

Segundo o docente, a indicação de Marques de Melo ao prêmio foi feita pelo CJE devido a esse traço empreendedor, que contribuiu muito para a inovação no CJE e na própria ECA. “No caso dele, acredito que essa homenagem seja justa e necessária”, diz o professor. 

Sendo uma das maiores referências da comunicação no Brasil, o docente contribuiu para o ensino brasileiro em amplas esferas, da produção de livros e artigos à criação da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM).

O professor faleceu no dia 20 de junho de 2018, aos 75 anos. Na ocasião, a ECA realizou uma sessão solene para homenageá-lo. 

Inovação no CRP

Indicado por sua atuação no Lab4C, Centro de Comunicação e Ciências Cognitivas, o professor Leandro Leonardo mescla a experiência de alunos de graduação e pós-graduação para realizar os trabalhos dentro da disciplina de Estudos do Comportamento do Consumidor.

Ela é dividida em dois semestres: o primeiro, mais teórico; o segundo, para desenvolvimento de um projeto por alunos da graduação e orientado por pós-graduandos. Para o professor, o benefício é duplo, já que permite que os graduandos tenham contato com os equipamentos e com a realização de um projeto e também oferece a oportunidade de orientação para alunos de mestrado e doutorado. Os equipamentos foram conseguidos por meio do projeto da Pró-Reitoria de Graduação, RenovaLab, que visava melhorias nos laboratórios da USP. 

O 4C trabalha com a chamada neurofisiologia, que se difere um pouco da neurociência. A neurociência estuda os nervos propriamente, enquanto a neurofisiologia estuda a resposta desses nervos. No caso do grupo liderado pelo professor Leleba, os equipamentos são usados para analisar a percepção das pessoas em relação a peças publicitárias.

A inovação promovida pelo trabalho do professor do CRP é de destaque dentro da ECA e também fora dela. Atualmente, pouquíssimas instituições fazem uso desse tipo de equipamento para estudos de comunicação. 


Leandro Leonardo Batista, docente do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP). Foto: Reprodução/Youtube

Prêmio USP Inovação

O Prêmio USP é bianual e envolve toda a USP. Ele possui duas categorias: Trajetória pela Inovação e In Memoriam. A primeira busca reconhecer os docentes que fizeram carreira buscando a inovação dentro da universidade. A segunda, homenageia docentes já falecidos, mas que tiveram grande impacto para a história da USP.

Cada unidade, incluindo os museus e os institutos especializados, podem indicar até dois docentes, um para cada categoria. Esta indicação foi aprovada pela ECA na Congregação e agora segue para avaliação da Comissão Coordenadora do prêmio. Depois, é passada para o Conselho de Pesquisa, que faz a seleção de cinco docentes a serem premiados. A decisão final fica a cargo do reitor. 

O resultado desta edição será divulgado no começo de 2020.