Drag queens na música brasileira é tema de podcast feito por alunos de Audiovisual e Jornalismo

Programa foi produzido em disciplina do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão e será veiculado no USP Especiais, da Rádio USP
 
A forma como a sociedade vê as drags queens ainda é muito estigmatizada. No entanto, com a ascensão da internet e o fenômeno das influenciadoras digitais, essa percepção tem mudado. O cenário musical é um dos mais impactados. Ao olhar os hits do momento, há, com certeza, alguma música de autoria de Pabllo Vittar ou Gloria Groove. Motivados por esse tema, alunos de Audiovisual e Jornalismo produziram o podcast Drag queens na música brasileira.
 
Para aqueles que não sabem muito bem do que trata o fenômeno, as apresentadoras explicam: “drag queen é um tipo de arte performática que tem a ver com a cultura LGBTQ e que quebra as barreiras de gênero”, questionando os papeis do homem e da mulher na sociedade. Apesar disso, ser drag queen ou king (quando é a mulher que encarna um personagem masculino) não define a sexualidade nem a identidade de gênero do indivíduo que faz a performance. 
 
Durante muito tempo, esse tipo de manifestação artistica fez parte da cultura underground, em um cenário bem diferente do Top Hits no Spotify. As drags sofriam repressão policial, e seu ativismo só foi amplamente conhecido a partir dos protestos de Stonewall, em 1969. 
 
Agora, com a internet sendo uma das principais plataformas de divulgação de conteúdo, artistas drag conseguem alcançar a fama, se apresentar em festivais e aparecer em novelas. Isso não acabou com o preconceito, mas contribuiu para que essas pessoas conseguissem mais espaço na cultura. 
 
O podcast trata de várias nuances do tema, trazendo recortes históricos e explicações permeadas por músicas de drag queens conhecidas. O projeto é uma produção da disciplina de Rádio e Mídia Sonora III, ministrada pelo professor Eduardo Vicente, no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR). 
 
Os alunos Gabrielle Yumi, Laís Vallina, Laura Salere e Daniel Torres, assim como os outros frequentadores da disciplina, tiveram liberdade para escolher o tema, que deveria contemplar uma pesquisa e também uma seleção musical.
 
Os programas são veiculados pela Rádio USP, cujo “apoio foi fundamental para estimular os alunos a produzirem”, comenta o professor. 
 
Para ouvir o podcast na íntegra, acesse o link

Pabllo Vittar, Gloria Groove e Aretuza Lovi no clipe Joga a bunda. Foto: Divulgação/Avon.