Educomunicação marca presença em encontro do Reitor da USP com pesquisadores

O reitor da USP, Vahan Agopyan, recebeu para um almoço, no dia 17 de abril, um grupo de pesquisadores da USP com o objetivo de estreitar o relacionamento com a comunidade acadêmica e dialogar sobre projetos com significativa relevância científica e social, relatados por seus próprios empreenderes ou coordenadores. É o segundo encontro deste tipo promovido pelo gabinete do reitor, com a participação de lideranças da área científica em diferentes campos do conhecimento. Na ocasião, a ECA foi representada por Ismar de Oliveira Soares, professor sênior do Departamento de Comunicações e Artes.

Também participaram do almoço com o reitor os professores Paulo Artaxo Netto (Instituto de Física), Beatriz Barbuy (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas), Elias Ayres Guidetti Zagatto (Centro de Energia Nuclear na Agricultura), Koiti Araki (Instituto de Química). Paulo Lotufo (Faculdade de Medicina), além dos pró-reitores de pesquisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto, e de pós-graduação, Carlos Gilberto Carlotti Júnior, e do chefe de gabinete, Gerson Yukio Tomanari. 

Entre relatos sobre pesquisas de ponta em cada unidade representada, temas de interesse coletivo para a Universidade foram abordados, caso da autonomia universitária. Segundo o reitor, a autonomia é uma conquista valiosa que deve ser preservada. Lembrou ainda que, no presente momento, o CRUESP prepara um estudo amplo que aponta para o aperfeiçoamento alcançado pelas universidades públicas do estado de São Paulo, tanto no âmbito da previsibilidade de gastos quanto da gestão dos recursos. 

Outro tema de destaque foi o papel do professor sênior na Universidade. Para Agopyan, a contribuição dos seniores tem garantido a continuidade de importantes áreas de pesquisas, facilitando a transferência de conhecimentos entre as gerações de pesquisadores. Ainda segundo o reitor, devem ser garantidas as escolhas e as preferências por atividades por parte destes docentes, na assinatura dos contratos com os respectivos departamentos.

Os pesquisadores advogaram a necessidade de abrir os espaços laboratoriais, integrando os especialistas numa perspectiva transdisciplinar. Apontaram, finalmente, para a melhoria do relacionamento da Universidade com a sociedade, ocorrida em decorrência do trabalho desenvolvido pelo setor de comunicação social, permitindo que o trabalho da Universidade seja melhor divulgado junto ao público externo. 


Ismar Soares (primeiro, à esquerda), professor sênior do Departamento de Comunicações e Artes (CCA), participa de encontro de pesquisadores com o reitor da USP, Vahan Agopyan. Foto: Gerson Yukio Tomanari

Educomunicação
Coube a Ismar Soares falar sobre o trabalho da ECA nas últimas duas décadas no campo da interface Comunicação/Educação. O docente descreveu pesquisas e intervenções em diferentes setores da sociedade, fato que permitiu que o conceito da educomunicação acabasse sendo assumido por políticas públicas, em nível municipal, estadual e federal, em campos de ação voltados à defesa dos direitos humanos, à educação ambiental, à mobilização pela saúde, sustentabilidade e bem-estar, chegando aos processos de aprendizagem, na educação formal.

Segundo o docente, nos últimos 20 anos foram produzidas 350 pesquisas em nível de mestrado e de doutorado, em mais de 100 programas de pós-graduação do país, número que inclui projetos educomunicativos nascidos a partir dos referenciais do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE) e voltados à educação midiática e à gestão da comunicação em projetos de mobilização. 

Por fim, Ismar Soares falou ao grupo sobre a mais recente iniciativa do NCE: o projeto Educom.Saúde, que envolve a formação de 300 agentes da Secretaria de Estado da Saúde para adotar uma metodologia de trabalho capaz de mobilizar a população – desde o segmento infanto-juvenil até as coordenações das organizações sociais complexas  em torno do combate às doenças disseminadas pelo aedes aegypti em municípios com mais de 100 mil habitantes. 

Quando perguntado pelo reitor sobre a articulação do projeto educomunicativo da ECA com a Faculdade de Educação (FE), o docente lembrou a importância da Faculdade na fundação do NCE, que contou com a participação da professora Mariazinha Fuzzari. Além disso, a Comissão Coordenadora do Curso (COC) da Licenciatura em Educomunicação mantém, entre seus membros, o professor Agnaldo Arraio, docente da FE.