As faces ocultas de Glauber Rocha

Livros organizados por professor de Audiovisual apresentam produções pouco conhecidas do cineasta

Glauber Rocha é um dos cineastas brasileiros de maior referência mundial. Seus filmes são até hoje fonte de inspiração e pesquisa. E no universo glauberiano ainda há muito a ser explorado. Prova disso são os textos não publicados em suas antologias críticas e o roteiro de um filme que nunca foi realizado. Agora, é possível ter acesso a esse material, que foi organizado pelo professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), Mateus Araújo, em dois livros: Glauber Rocha: Crítica Esparsa (1957-1965) e Glauber Rocha: O Nascimento dos Deuses

O primeiro livro reúne 30 artigos de Rocha não publicados nas antologias Revisão Crítica do Cinema Brasileiro, Revolução do Cinema Novo e O Século do Cinema. Há também um grande apanhado bibliográfico, resultante da pesquisa de mais de mil publicações do cineasta. “Neste conjunto, encontramos textos de natureza, propósitos e tamanhos variadíssimos, num arco que vai de notinhas ou declarações breves a ensaios longos”, diz o professor do CTR.

O segundo livro é a tradução do roteiro do filme homônimo. A produção foi escrita em italiano e publicada pela Editora RAI, na Itália, em 1981, pouco antes da morte do cineasta. O roteiro foi traduzido pelo professor Jacyntho Lins Brandão, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e esta é sua primeira publicação no Brasil. 

Rocha escreveu o roteiro para O Nascimento dos Deuses enquanto estava no exílio, inspirado na estética de filmes ambientados na Antiguidade, então em voga na Itália. Ele baseou-se na Ciropédia e na Anábase, duas obras do historiador e soldado grego Xenofonte. O longa-metragem, porém, nunca foi filmado. 

A publicação dos livros teve apoio da Fundação Clóvis Salgado. As obras podem ser baixadas gratuitamente no site

Com informações do Jornal da USP