“O Pracinha de Odessa”, do CTR, é selecionado para o Festival Brasileiro de Cinema Universitário, no Rio de Janeiro

O filme O Pracinha de Odessa, produzido e dirigido em 2013 por Luis Felipe Labaki, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), como Trabalho de Conclusão de Curso, foi escolhido para concorrer no 19º Festival Brasileiro de Cinema Universitário – FBCU, Rio de Janeiro.  “A satisfação é imensa, claro, e pretendo ir ao Rio para acompanhar o FBCU. O filme já esteve em outros festivais aqui no Brasil, como o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo e o Festival de Cinema Latino-Americano, o Lumiar: Festival Interamericano de Cinema Universitário. Em todos os casos o contato com outros realizadores foi bem bacana, e fico feliz de contribuir um pouco para que o trabalho do Boris seja apresentado e discutido por novos públicos”, diz Luis.

O curta-metragem de 22 minutos faz um relato biográfico do escritor e tradutor Boris Schnaiderman, que verteu para o português, diretamente do original, livros de autores russos como Tolstói e Dostoiévski. A produção de Labaki une depoimentos de Schnaiderman a cenas de obras que ele traduziu encenadas por atores. O filme também narra acontecimentos da vida do tradutor.


Cena do filme O Pracinha de Odessa

Paralelamente ao curso Superior de Audiovisual na ECA, Luis começou a estudar russo por conta do interesse que já tinha na literatura e no cinema do país. Mesmo antes disso, já admirava o trabalho do Boris como tradutor e também como ensaísta.

Então, na hora de apresentar o TCC, o filme surgiu como uma maneira de juntar esses meus diferentes interesses: de um lado, a vontade de fazer uma homenagem ao Boris e trabalhar com a cultura russa; de outro, realizar um curta-metragem que me permitisse experimentar na própria forma cinematográfica algumas questões relativas à tradução. “Sempre me impressionou a franqueza com a qual ele discute o próprio trabalho, sem problemas para expor seus métodos ou as eventuais dificuldades que encontra pelo caminho. E as traduções acabaram me levando a outros trabalhos dele, como o “Tradução, Ato Desmedido, Os Escombros e o Mito  e seu único romance,  Guerra em Surdina’, explica o autor.

Sobre as gravações, Luis é só elogios a Boris. “Ele foi sempre muito generoso conosco. Ele leu o projeto inicial atentamente, fazendo anotações, dando sugestões etc. Além disso, nós gravamos a entrevista quando ele ainda estava se recuperando de uma doença - o que foi de uma generosidade imensa – e, quando mostrei o filme pronto, ele pareceu bastante contente com o resultado. No curta, aliás, há um plano da pilha de livros que o Boris traduziu e escreveu”, relembra.

Assista ao teaser de O Pracinha de Odessa abaixo:

 

O Pracinha de Odessa - Teaser from Luis Felipe Labaki .