Grupo XIX de Teatro se apresenta na Vila Maria Zélia

Em comemoração aos 100 anos da Vila Maria Zélia, primeira vila operária de São Paulo, o Grupo XIX de Teatro, formado por ex-alunos da Escola de Arte Dramática (EAD), realiza duas apresentações gratuitas no local, o que foi possível pela Lei de Fomento ao Teatro. 

No sábado, 29 de abril, às 16h, o grupo realiza a apresentação final da peça Teorema 21, que será encenada nas ruínas da escola desativada da Vila. Livremente inspirada pela obra Teorema, do italiano Pier Paolo Pasolini, a peça conta a história de uma família que "retorna ao seu antigo lar", onde tudo parece estar "estagnado" e, assim, a "chegada de um estrangeiro ameaça transformar a estrutura dessa família".

E, no dia 6 de maio, às 11h, o grupo faz uma apresentação única da peça Hygiene, baseada em uma pesquisa sobre os processos de higienização urbana iniciados no Brasil no final do século XIX. Contando a história de "operários, imigrantes, lavadeiras, meretrizes" e outros moradores de cortiços do Rio de Janeiro, na virada para o século XX, o grupo traz à tona "as características que marcaram profundamente a construção da identidade brasileira", refletindo sobre o momento histórico em que o Brasil se constituia à época.

Os ingressos devem ser retirados na bilheteria, uma hora antes de cada espetáculo. A Vila Maria Zélia está na Rua dos Prazeres, 362, Catumbi.

Grupo XIX

O Grupo XIX de Teatro realiza desde 2001 um trabalho colaborativo desenvolvido em torno do desenvolvimento de uma dramaturgia própria, voltada para a exploração de prédios históricos como espaços cênicos e do uso da interatividade.

Desde 2004, o grupo realiza uma residência artística na Vila Maria Zélia, espaço no qual instalou suas bases de pesquisa e produção e onde até hoje exerce trabalhos dramatúrgicos, possiblitando a continuidade das atividades em prédios históricos que estavam quase abandonados. O grupo assina ainda os espetáculos Hysteria, Arrufos e Marcha para Zenturo, os quais encena até hoje.