Livro sobre as campanhas eleitorais de 2018 e liberdade de expressão é lançado em seminário do OBCOM

Na última quarta-feira, dia 10 de abril, aconteceu o lançamento do livro Liberdade de Expressão e Campanhas Eleitorais – Brasil 2018, durante o seminário Campanhas Eleitorais de 2018 e Liberdade de Expressão. O livro foi organizado pela professora Maria Cristina Castilho Costa, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA) e Patrícia Blanco, em uma parceria entre a ECA, por meio do Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (OBCOM), com o Instituto Palavra Aberta e o Instituto de Comunicação da Nova (ICNOVA), este último sediado em Lisboa.

Para a produção do livro foram formados dois grupos de pesquisadores: um em Portugal, liderado pelos professores Rui Cádima e Isabel Ferin da Cunha, ambos do ICNOVA, e um no Brasil liderado, por Cristina Costa, coordenadora do OBCOM, e também pela presidente do Instituto Palavra Aberta, a gestora e comunicadora Patrícia Blanco. A metodologia utilizada foi constituída da leitura de 2.500 matérias publicadas nos jornais Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo, O Globo, revistas Veja e Carta Capital, portais UOL e Poder 360º, entre 1º de agosto a 30 de novembro de 2018.


Livro Liberdade de Expressão e Campanhas Eleitorais – Brasil 2018

O grupo de pesquisa foi dividido em duplas que se dedicaram à pesquisa nos veículos citados sobre os temas liberdade de expressão, liberdade de imprensa, fake news, redes sociais e educação. A edição traz análises dos discursos tanto dos candidatos como da imprensa para os eleitores.

As eleições de 2018 foram marcadas por disputas ideológicas acirradas, que culminaram em situações de fake news e violência com participação da população. Mudou-se também o local de conflito: além das ruas, tivemos intenso conflito virtual. Sobre isso, a Cristina Costa conta no primeiro capítulo: “o acesso da população às redes sociais de internet como Facebook, Twitter, Instagram, entre outras, deslocou o palco das disputas políticas da praça pública para os ambientes de comunicação digital, provocando uma participação nunca antes imaginada, a qual coloca em xeque justamente as possibilidades de eleições justas e confiáveis. (...) Nas redes sociais, o ambiente comunicacional favorece o anonimato, a postagem rápida e superficial, o compartilhamento e a radicalização”, afirma a pesquisadora.


Organizadores do livro durante o lançamento da obra na ECA

O livro está dividido em dez capítulos com análises sobre a temática da censura e liberdade de expressão nos dias de hoje, mas também se estende sobre os temas da educação, com o capítulo“Educação: custou ou investimento? A mídia impressa e a cobertura de educação no processo eleitoral de 2018, de Myrian Clark, e também a área da cultura com o capítulo Lei Rouanet e os rumos da cultura no discurso eleitoral de 2018, do professor Ferdinando Martins, também do Departamento de Comunicação e Artes (CCA). 

Fotos: André Bueno