Nota de falecimento de Leonardo Feder, ex-aluno de Jornalismo

O ex-aluno foi defensor da luta pela acessibilidade e inclusão social na ECA

 

É com tristeza que recebemos a notícia da morte do querido Leonardo Feder, nosso colega de ECA. 

Quando estudante de Jornalismo, Leonardo precisou enfrentar diversas barreiras, mas nunca deixou de lutar por seus direitos. Por ter a Distrofia Muscular de Duchenne, que limita os movimentos, precisava se deslocar em cadeira de rodas para assistir às aulas. Seu empenho foi fundamental para que a faculdade adotasse as medidas de acessibilidade que, hoje, beneficiam a todas as pessoas com deficiência que frequentam a ECA. Quem utiliza as rampas e os elevadores do prédio central hoje está se beneficiando de um legado dessa luta, importante para todos.

Como jornalista, Leonardo foi um repórter curioso e questionador. Apaixonado por fotografia e pela vida acadêmica, nunca abandonou a USP e, no ano passado, concluiu sua tese de doutoramento na FFLCH sobre a obra de fotógrafos da comunidade judaica brasileira.

Que sua luta pela acessibilidade e inclusão seja um exemplo para as pessoas com deficiência de todo o Brasil, e em especial, para as pessoas com distrofias musculares e suas famílias. Leonardo contribuiu muito para a conscientização sobre as distrofias, ao mostrar pelo exemplo que a deficiência não impede as pessoas de sonhar e alcançar seus objetivos.

Com os mais profundos sentimentos, agradecemos à sua família pelo apoio e incentivo que deram ao Leonardo, que nos deixa tão cedo. Que sua memória seja sempre lembrada.

 

Texto: José Ismar Petrola, jornalista, mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA.

Foto do ex-aluno de Jornalismo, Leonardo Feder

Foto: Arquivo pessoal