Professor Ivan Vilela traz a mistura entre música popular e clássica no álbum “A Força do Boi”; ouça na Rádio USP

O violeiro quebra as barreiras existentes entre os estilos musicais ao combinar a viola caipira com a Orquestra de Mato Grosso

 

Veiculado na Rádio USP, o programa Revoredo desta semana apresenta o trabalho do violeiro, compositor, arranjador, pesquisador e professor do Departamento de Música (CMU) Ivan Vilela, no álbum A Força Do Boi, gravado com a Orquestra do Estado de Mato Grosso sob regência do maestro Leandro Carvalho. 

Vilela afirma que a mistura de timbres entre a viola caipira e a orquestra é capaz de criar uma forte harmonia e também romper a barreira existente entre os dois estilos musicais. “É uma experiência interessante juntar a viola caipira com uma orquestra, pois mostra que existe música, antes de ser popular ou clássica. Essa fronteira pode ser diluída na medida em que olhamos para os instrumentos sem uma escala de valores.” 

O programa apresenta músicas como A Força do Boi, Saudade de Minha Terra, Tristeza do Jeca, Sertão, Carreirando, Menino, entre outras que integram o álbum, lançado em julho de 2019. A atração traz ainda diversas informações sobre o contexto histórico, a composição e a execução das obras. 

Para ouvir na íntegra, clique aqui.

 

Capa do álbum A Força do Boi

 

Sobre o programa Revoredo

Voltado ao universo da viola caipira instrumental, Revoredo é um programa da Rádio USP que divulga diferentes obras escritas para este instrumento, além de apresentar os compositores e intérpretes que vêm trabalhando no desvelar das riquezas musicais da viola caipira no Brasil.

O programa é apresentado por José Gustavo Julião de Camargo, instrumentista, compositor, arranjador, maestro de banda e professor do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP-USP). Revoredo vai ao ar todas as quintas, às 17h, com reprise aos sábados, às 8h, e aos domingos, às 2h. Para ouvir todos os episódios, acesse este link.

 

Com informações do Jornal da USP