Teoria semiótica de Greimas é tema da nova edição da revista Significação

A edição número 48 da Revista Significação, periódico do Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais, já está disponível para a leitura no Portal de Revistas da USP. O periódico divulga semestralmente artigos e resenhas nas áreas de cinema, rádio, televisão e mídias digitais, e tem como editores os professores Eduardo Morettin, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR) e Irene Machado, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA). 

O novo volume faz um resgate da teoria semiótica proposta pelo linguista lituano Algirdas Julien Greimas, "cujo modelo conceitual permanece aplicável a uma infinidade de objetos do nosso cotidiano mesmo tendo sido formulada há mais de meio século", escrevem na apresentação as pesquisadoras Irene Machado e Jaqueline Esther Schiavoni, do Grupo de Estudos Audiovisuais da Universidade Estadual Paulista (UNESP). "É nessa linha que lançamos este dossiê e oferecemos ao leitor um conjunto de textos que podem ajudá-lo a ver o arcabouço teórico da semiótica greimasiana aplicada a uma diversidade de objetos audiovisuais – concebidos para o cinema, a televisão, a internet", explicam as editoras.

Assim, o periódico conta com seis ensaios que abordam, a partir dos estudos de Greimas, a questão da semiótica e sua contribuição para pesquisa no campo da ficção televisiva, hipóteses de entendimento de questões do jornalismo político e da ficção televisiva seriada. Entre os ensaios, Modalizações do fazer no episódio Hino Nacional, sobre o seriado Black Mirror, de Conrado Moreira Mendes, visa entender como funciona as relações intersubjetivas presentes no seriado e mostrar como a semiótica greimasiana apresenta-se como um meio de análise de textos audiovisuais.


Nova edição da Revista Significação traz dossiê especial  100 anos de Greimas: Perspectivas no Audiovisual. Foto: Reprodução 

Completam a edição cinco artigos, três resenhas e a tradução do texto A historicidade do cinema, do filósofo Jacques Rancière.

A edição pode ser lida integralmente no Portal de Revistas da USP.