Shopping trem, Airbnb e webséries: TCCs do CRP abordam assuntos contemporâneos

O Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) recebeu, no último semestre, apresentações de trabalhos de conclusão de curso (TCCs) dos cursos que fazem parte do departamento: bacharelado em Turismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas.

Dentre as apresentações, 12 foram de Relações Públicas, 22 de Publicidade e Propaganda e 10 de Turismo. Em todas, os enfoques temáticos contaram com a criatividade e discussões de assuntos contemporâneos, abrangendo tópicos como funk brasileiro, gastronomia paulistana, redes sociais e questões minoritárias.

A porta fechou, o perigo passou. Shopping Trem: uma análise de discurso

Um dos TCCs de Publicidade e Propaganda recebeu o tema A porta fechou, o perigo passou. Shopping Trem: uma análise de discurso, por Camila Melo. O Shopping Trem é o nome dado pelos próprios vendedores ambulantes dentro do transporte, sendo informal e não autorizado pela companhia responsável. No entanto, Camila alega que mesmo na informalidade, é um meio de trabalho que muitos vendedores utilizam para sustento. Além disso, para conquistarem vendas durante o trajeto, fazem da publicidade oral um instrumento para encantar os passageiros, objeto de estudo analisado pela graduanda.

Camila diz que “também tinha em mente desenvolver um trabalho que fugisse da autorreferenciação da publicidade, que entra em um ciclo vicioso em que campanhas de grande veiculação viram referência, [...] deixando de lado tantas outras variações e práticas publicitárias, como o comércio ambulante.”

Ela relata que havia poucos estudos sobre o tema, então, para seu aprofundamento, pesquisou sobre o espaço de seu objeto de estudo, a estrutura e a história ferroviária até chegar a Linha 9 – Esmeralda da CPTM, foco do trabalho, bem como sobre o comércio ambulante e o trabalho informal. Em seguida, a estudante analisou as gravações dos discursos dos vendedores durante o trajeto de trem, a partir da teoria de análise de discurso de Dominique Maingueneau.


Camila Melo apresentou A porta fechou, o perigo passou. Shopping Trem: uma análise de discurso no dia 4 de dezembro. Foto: Metrô CPTM

Observando cada discurso, a publicitária construiu uma tabela com os principais argumentos de compra nos discursos dos ambulantes. De acordo com a pesquisa, a mensagem criada por eles são semelhantes ao que é visto no varejo, com anúncios de caráter promocional e apresentação dos produtos como grandes oportunidades.

Resultados de locação hoteleira na economia compartilhada e nas unidades administradas: uma análise exploratória da cidade de São Paulo

Débora Soeiro, ex-aluna de bacharelado em Turismo, estudou em seu TCC como a economia compartilhada impacta a rede hoteleira, analisando o investimento e retorno dos dois objetos de estudos. São eles, a rede on-line de locação Airbnb e os condo-hotéis, empreendimentos hoteleiros de propriedades compartilhadas por investidores que são remunerados proporcionalmente com os resultados financeiros do local.

Um dos objetivos da pesquisa era descobrir qual a influência do Airbnb entre os hotéis. Débora constatou que “no geral, o Airbnb ajuda a expandir a oferta da cidade em momentos de grande procura, pode influenciar a diária média dos hotéis, mas varia muito de acordo com cada mercado. Para a cidade é interessante, pois oferece opções de hospedagem mais baratas do que os hotéis tradicionais.”


No centro, Débora Soeiro. Ao lado, sua orientadora, a docente Gleice Guerra (CRP) e Paulo Henrique Feitosa, que fez parte da banca. Foto: Acervo pessoal

Em seu trabalho, Débora construiu diagramas exemplificando o condo-hotel e a dinâmica do Airbnb, além do mapeamento de ambos na cidade de São Paulo. Ela conta que o Airbnb se consolidou no Brasil a partir de 2014, por conta dos megaeventos esportivos – Copa do Mundo e Olimpíadas, pois surgiu a necessidade de expandir as opções de hospedagem.

Débora conta que baseou-se em estimativas para chegar aos resultados e que outros estudos podem complementar seu TCC, “inclusive, meu possível mestrado”.

As webséries como forma de novas narrativas na publicidade

A relações públicas Isabela Matsuda se interessou em como as webséries estão mudando a forma das empresas conversarem com os consumidores. “A gente vê propagandas de televisão que falam sobre diferenciais de produtos. No momento em que todo mundo tenta se diferenciar, falando que é melhor do que o outro, isso não chama mais a atenção do consumidor.” Foi assim que ela decidiu fazer o TCC As webséries como forma de novas narrativas na publicidade.


O interesse de Isabela Matsuda surgiu após realizar uma websérie no trabalho para a divulgação de um produto. Foto: Acervo pessoal

No trabalho, ela analisa a websérie Eu sou Bonita, da Avon, que fala sobre a quebra de estereótipos. A produção foi escolhida “porque acho que ela fala de um tema importante, que a gente precisa falar cada vez mais. Então acho que contribuiu para a vida das pessoas”. A análise foi feita usando como base o livro Webséries - Criação e Desenvolvimento (2013), de Guto Aeraphe.

Isabela acredita que a empresa conseguiu se retratar e fazer com que o público se identificasse com a causa, já que as personagens da websérie são micro-influenciadoras. Ou seja, “eles têm um número de seguidores considerável, mas ao mesmo tempo não são pessoas inalcançáveis”. Contudo, a relações públicas sinaliza que a websérie não foi bem divulgada e isso atrapalhou a difusão do conteúdo.

 

Texto: Letícia Passarinho e Mirella Coelho
Foto de capa: MetrôCPTM