Trabalho de aluno do CTR vence prêmio de Melhor Curta Iberoamericano

O curta Tempo de ir, Tempo de voltar, dirigido por Pedro Nishi, ex-aluno do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), venceu o prêmio de melhor curta iberoamericano no 18º Festival Internacional de Escolas de Cinema, no Uruguai. O filme foi trabalho de conclusão de curso de Pedro, orientado por Cecília Mello.

Escrito por Pedro Nishi, Rena Zoé e Victor Miaciro, todos alunos do Departamento, o filme aborda a relação de três irmãos que voltam a morar na casa de infância. “É um reencontro, mas um deles é uma presença fantasmagórica”, afirma Pedro, “é um movimento de reaproximação e de afastamento dos três irmãos ao mesmo tempo. Porque é o passado e o presente sobrepostos”.

Além disso, o diretor conta que a forma como as relações entre as pessoas se dão na cultura japonesa está no filme. “Está ligado a minha experiência enquanto descendente de japoneses. Coisas que eu notava na minha família”, conta. “Uma coisa que eu sentia é que muitos sentimentos ficavam dentro de cada um. Às vezes, isso tem a sua beleza, mas tem a sua dor.” Comparando com o cotidiano dos irmãos, “a relação entre eles é aprisionadora e libertadora também”, de acordo com o diretor.

A produção de Tempo de ir, Tempo de voltar foi demorada. “O roteiro começou no final de 2015, a gente filmou em 2016 e ele ficou pronto em 2018”. Como o curta foi produzido no contexto universitário, há muitas barreiras, por exemplo, o calendário do próprio curso. “E é um trabalho que não paga. Então acaba esbarrando na disponibilidade das pessoas que, às vezes, tem outras prioridades”.

No entanto, a recompensa se dá pelo reconhecimento do filme. Em maio deste ano, o Laboratório Agência de Notícias da ECA fez uma matéria contando que Tempo de ir, Tempo de voltar havia sido selecionado para o 7º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba.

“Essa é a maior recompensa mesmo, porque, como não é um trabalho em que as pessoas envolvidas tiveram um retorno financeiro, pelo menos tem o trabalho delas chegando às pessoas”, afirma Pedro.

Já graduado, ele está envolvido com mais filmes. “Um deles estreia no Festival Internacional de Curtas de São Paulo, chamado Liberdade”. De acordo com Pedro, é um filme que retrata a questão da imigração japonesa e de outras imigrações do bairro da Liberdade, em São Paulo. “Mas Tempo de ir, Tempo de voltar também se passa na Liberdade. Então acho que é uma continuidade de uma pesquisa pessoal com essas raízes, com essa experiência de miscigenação, de imigração”, conclui.