RECITAL "O Violino em SOLO no Brasil"

03/10/2018 10:00

RECITAL "O Violino em SOLO no Brasil"

 

DIA DO RECITAL: 3/10/2018

HORÁRIO: 10h

LOCAL: AUDITÓRIO OLIVIER TONI – DEPARTAMENTO DE MÚSICA

 

Professor de violino Alessandro Borgomanero da Universidade Federal de Goiás vem realizando pesquisa sobre repertório para violino solo escrito por compositores brasileiros. Seu trabalho compilou e analisou diversas obras que revelam a grande diversidade estilística da música brasileira que será apresentada em recital.

 

 

 

CURRÍCULO - ALESSANDRO BORGOMANERO

Nascido em Roma, formou-se com o título de Mestre em 1992, na Universidade de Música Mozarteum, de Salzburg, na classe do violinista Ruggiero Ricci. Continuou seus estudos com renomados violinistas como Boris Belkin, Salvatore Accardo  e Rodolfo Bonucci.

            Apresentou-se como solista frente a várias orquestras como, Orquestra de Câmara de Budapest, Salzburg Chamber Soloists, Philadelphia Virtuosi, London Mozart Players, Orquestra de Câmara de Berlim, Orquestra Sinfonietta Salzburg, Bachiana Filarmônica, Sinfônica de Vaasa (Finlândia), Sinfônica de Guayaquil, Sinfônica Nacional do Equador, Orquestra L´Armonica Temperanza di Roma, Filarmonica Siciliana, Tblisi State Chamber Orchestra (Georgia),  e com a  maioria das orquestras sinfônicas do Brasil.

Em 2002 realizou a primeira execução brasileira do Concerto nº 2 para violino de Schostakovich, em Curitiba. No ano de 2005 apresentou-se como solista com a Orquestra de Câmera do Kremlin (Rússia), em dois concertos no auditório do Kremlin em Moscou. Em 2009 fez a estreia do concerto para violino de Jaime Zenamon com a Orquestra Sinfônica do Paraná e no ano de 2015 foi convidado para tocar a estréia mundial do Concerto para Violino, Sax e Orquestra de Helene Rasquier, no Carnegie Hall de Nova Iorque com a New York Sinfonietta.  Em duo com violino e piano, e como integrante do Quarteto Mozarteum obteve elogios do público e da crítica especializada em tournées por diferentes países como Áustria, Escócia, Inglaterra, França, Holanda, Portugal, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Austrália, Estados Unidos, Canadá, Perú, Equador, Chile, Argentina, e Uruguai. Apresentou-se em salas de concerto importantes como no Grosses Festspielhaus em Salzburg, Musikverein de Viena, Palao de la Música de Barcelona, no Tivoli em Copenhague, Alte Oper de Frankfurt, Bunkakaikan e Sala Pablo Casals em Tóquio, no Teatro Olímpico de Roma, no Teatro Colón em Buenos Aires, na Sala São Paulo e na Sala Minas Gerais. Gravou vários programas para a rádio e televisão, como a BBC de Edimburgo, NHK de Tóquio, ORF de Salzburg e para a RAI Italiana.

Participou com concertos em diversos festivais como no Festival de Verão de Salzburg em um concerto de música de câmara com a cantora Jessye Norman, Festival de Música de Edimburgo, nas Semanas Filarmônicas de Salzburg com integrantes das Orquestras Filarmônica de Viena e de Berlim, Festival Mozart de Tóquio, e no Festival de Inverno de Campos do Jordão. Ministrou cursos para violino na Escola Superior de Música de Viana (Portugal), no III e IV Festival de Musica da Patagônia, no Chile e na grande maioria dos festivais de música do Brasil. Gravou vários CDs pelos selos Kreuzberg Records (Alemanha), Nami Records (Japão) e Classic Sound (Áustria). A sua discografia inclui CDs gravados com o Mozarteum Quartett, com quartetos e quintetos de Mozart com o clarinetista Wenzel Fuchs da Filarmônica de Berlim, um CD de violino e violão com um arranjo dos Quadros de uma Exposição de Mussorgsky e outro com peças virtuosísticas para violino e piano. Em 2011 gravou um CD com obras inéditas de compositores brasileiros para violino e orquestra como solista e diretor artístico da Camerata Filarmônica de Goiás. Em 2018 é convidado para ser o diretor artístico do 1º Festival Música no Forte em Fernando de Noronha e do Festival Música na Serra Dourada na antga capital de Goiás.

            Vive em Goiânia desde 1997 onde é professor de violino na Universidade Federal de Goiás. De 2003 a 2007 foi o regente titular da Orquestra de Câmara Goyazes, liderando a grupo em mais de 90 concertos e levando a orquestra pela primeira vez em tournée nos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Em 2012 assumiu o mesmo cargo na Orquestra Filarmônica de Goiás até 2017 sendo um dos responsáveis pela sua restruturação e pelo seu desenvolvimento artístico. Em reconhecimento pelas suas realizações na área da música, recebeu em 2006, o título de Comendador da Ordem do Mérito Anhanguera, outorgado pelo Governo do Estado de Goiás.