Arte Iorubá é tema de palestra

06/08/2013 13:30
06/08/2013 16:30

No dia 6 de agosto, das 13h30 às 16h30, a ECA recebe o professor Babatunde Lawal, do Departamento de História da Arte, da Virginia Commonwealth University, dos Estados Unidos, para a palestra Oòsàsonà: forma e significado na arte Iorubá. O evento é gratuito e acontece na sala da Congregação do prédio principal da ECA.

Arte e vida são inseparáveis entre os iorubás da África Ocidental. Uma revisão de sua cosmologia revela uma forte crença na importância ontológica da arte, uma crença evidente em sua percepção do corpo humano como uma peça de escultura moldada pela divindade da criatividade (Oòsàlá) para encarnar a alma (Ime) no mundo físico. Esta percepção ressoa na palavra Oòsàsonà que em Iorubá significa "Oòsàlá criou a primeira obra de arte." E tal é a importância da imagem humana que Oòsàlá (chamado Oxalá no Brasil) e outras divindades iorubás (Orixás) teriam assumido a mesma forma humana, a fim de acompanhar os primeiros mortais do céu (Orun), para a terra recém-criada (Aye), onde ajudaram a lançar as bases do que hoje chamamos de cultura Iorubá.

A cosmologia Iorubá não só identifica o corpo humano como uma obra de arte (Ona), mas também identifica a capacidade de "criatividade e inovação" como parte integrante da humanidade, representando o impulso estético nas artes visuais e performativas e no uso de esculturas e máscaras para incorporar e se comunicar com o sagrado. Esta palestra irá esclarecer forma e significado na arte Iorubá, de modo a aprofundar nossa compreensão da dinâmica dos "transmissores" iorubás na cultura brasileira contemporânea, sobretudo em cerimônias do candomblé.

Data: 6 de agosto
Hora: 13h30 às 16h30
Local: sala da Congregação do prédio principal da ECA