“Janelas da Arte” expõe a crise da pandemia e propõe a valorização da vida

22/12/2020 00:00
22/03/2021 00:00

Mostra on-line reúne pesquisadores, artistas, professores e alunos de diversas áreas integrando arte e ciência

 

A exposição Janelas da Arte reúne artistas, pesquisadores, professores e alunos de diversas áreas em espaço multidisciplinar nos sites do Centro Mario Schenberg de Documentação da Pesquisa em Artes e do Centro Interdisciplinar de Tecnologias Interativas (Citi). A mostra integra ciência e arte, expondo o cotidiano da população no contexto da pandemia de covid-19. 

A curadoria do evento é de Elza Ajzenberg, docente do Departamento de Comunicações e Artes (CCA) e coordenadora do Centro Mario SchenbergA mostra apresenta trabalhos, metáforas e registros conectados ao território livre da arte, onde os participantes promovem a pesquisa científica, a educação e a preservação do meio ambiente. “Nesse contexto do território livre da arte, plataformas tecnológicas possibilitam comunicações, atividades docentes e laboratoriais”, explica a professora. 

Janelas da Arte oferece ao visitante uma viagem que compartilha sensações que ele bem conhece, como o aprisionamento causado pela pandemia, a sensação confusa do tempo virtual e a redescoberta do entorno como a natureza do próprio jardim, os prédios vizinhos ou a paisagem do sol se pondo no horizonte. Estas sensações são estimuladas em três núcleos da exposição: Janelas Abertas; Natureza e Criatividade; Esperança e Sensibilidade Estética

 

Foto: Divulgação. ​

 

As tensões da pandemia são compartilhadas pelo viés da criatividade

Um dos trabalhos presentes na mostra é a escultura Deusa Corona, de Elias Knobel, cardiologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Há 120 dias, eu encontrei um tronco em formato de Y que acabou se transformando em arte”, conta em depoimento por vídeo. O professor esculpiu e destacou o formato feminino do tronco que, nestes 120 dias, engravidou. Ao girar devagar a escultura, o médico observa: “Ela continuou bonita e elegante. O tronco iria para o fogo. Mas acabou revivendo na Deusa Corona”.

 

Paisagens aprisionadas do “novo normal”

Desenhar a sensação de estar limitado pela covid-19 é a arte de Pedro Marçalo Balau, de 11 anos. Em uma ilustração de um menino ajoelhado de máscaras dentro do coronavírus, Pedro desabafa: “Aprisionado”. A fotógrafa Mariana Negro, com a série Entrée, cria uma série de paisagens como a composição sem par de chinelo, tênis e sapato deixada na entrada de uma casa com a porta devidamente fechada. Interessante ainda a foto de uma antiga fechadura que denominou O grito, pela semelhança com a obra homônima do pintor Edvard Munch. Como a tela do pintor alemão, as imagens de Mariana reproduzem sensações de solidão e medo.

 

O cotidiano de muitos

Os processos criativos de Janelas da Arte proporcionam ao visitante identificações nos vídeos, fotografias, instalações, esculturas, pinturas e desenhos que documentam o cotidiano de muitas pessoas nessa conjuntura. As máscaras que escondem os rostos da pandemia estão na selfie de Beabar. O muro com cerca elétrica sob a árvore frondosa é o tema de O céu que nos protege, da fotógrafa Thais Yamanishi. Há também a metamorfose de Paulo Schlik expressa na foto-performance com sacos de lixo, uma obra que parece questionar a presença humana diante da pandemia. 

 

Foto: BEABAR. Mesa de trabalho

 

O isolamento social está presente 

Em Da minha janela vejo o silêncio, Fernando Ekman mostra o processo de sua pintura em vídeo. O resultado é um amontoado de caveiras, revelando o drama das mortes na pandemia. Em Olhares Atentos, pesquisadores, fotógrafos e artistas apresentam selfies do confinamento na pandemia, sozinhos ou com seus animais.

O núcleo Natureza e Criatividade traz a busca para respirar e se distrair sem sair de casa. O pianista e professor José Eduardo Martins registra o movimento das flores em seu jardim, desde o primeiro botão. Maria Lucia Roig compartilha a natureza da praia de Taguaiba, no Guarujá. Lucia Ahlers fotografa as árvores florindo. Marcos Manto mostra o fogo pelas matas urbanas e Victor Carvalho Pinto flagra um animal em fuga, querendo ultrapassar as grades pontiagudas em Brasília.

 

Serviço

Exposição on-line Janelas da Arte

Data: Inagurada em 22 de dezembro de 2020 e disponível por prazo indeterminado

Acesso gratuito via sites do Centro Mario Schenberg de Documentação da Pesquisa em Artes e do Centro Interdisciplinar de Tecnologias Interativas 

 

Texto: Beatriz Gonçalves dos Santos