Chamada para comunicações: "Fazendo e Desfazendo o Gênero na ECA"

A Escola de Comunicações e Artes promove entre os dias 19 e 23 de junho o evento Fazendo e Desfazendo o Gênero na ECA, que reunirá docentes, pesquisadores e pesquisadoras, estudantes de graduação e pós-graduação da Escola em mesas de diálogo e apresentações orais sobre a temática Gênero e Sexualidade. Os interessados em apresentar comunicações durante o evento devem se inscrever até o dia 26 de maio.

Leia, na íntegra, o texto da chamada para comunicações:

No mês do Orgulho LGBT, a Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP) convida seus discentes e docentes para refletir sobre as implicações das representações das pessoas LGBT no campo das Artes e das Comunicações, bem como para um diálogo com a comunidade interna e externa à ECA sobre as construções de feminilidades e masculinidades hegemônicas e sobre as dimensões dos questionamentos contemporâneos às hetero-cis-normatividades.

A ECA espera estimular um espaço crítico nos estudos sobre gênero e sexualidade a partir do estofo intelectual que marca a trajetória da Escola, bem como demarcar sua vocação para a diversidade, o que inclui as dimensões racial, sexual e de gênero. Dessa forma, apostamos, cada vez mais, em um diálogo plural com a nossa comunidade, com a USP e com a sociedade.

A primavera política das mulheres e das LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) nos levou, nas últimas décadas, ao desenvolvimento e crescimento de uma área de estudos multi e interdisciplinares de gênero e sexualidade no Brasil. Um lugar fundamental de pesquisa que, vinculado às humanidades, tornou-se um campo fértil para se pensar os corpos, as políticas, as diferenças e as identidades. O crescimento das perspectivas de reflexão e teorização sobre gênero e sexualidade acompanham a compreensão de que corpos, expressões e identidades podem se manifestar de formas mais amplas do que a régua das normas culturais. Gênero e sexualidade, por exemplo, eram léxicos reduzidos aos estudos das mulheres, mas, no contemporâneo, traduzem o pensamento e a vivência de travestis, de homens transexuais heterossexuais, de mulheres transexuais lésbicas, de homens transexuais gays, de mulheres transexuais heterossexuais, de pessoas transexuais bissexuais, assim como todo o leque de pessoas cisgêneras e suas sexualidades.

Ao compararmos o crescimento vertiginoso do debate a respeito dessas questões na sociedade, sobretudo nas mídias (mainstream e alternativas), percebemos que o mesmo não ocorre na mesma proporção no que refere às reflexões de gênero e sexualidade em diálogo com o Campo da Comunicação e das Artes, em que pesem, por exemplo, as subversões do gênero e da sexualidade, bem como sua reflexão com contornos de vanguarda quando se pensa os corpos híbridos e discursos afiados dos DziCroquettes, de Madame Satã, Cláudia Wonder, Cia. Os Sátiros e Teatro Oficina ou os contemporâneos Liniker, Jaloo, Johnny Hooker e As Bahias e a Cozinha Mineira. As rupturas na ordem sexo política são um paradigma estético que contamina todas as dimensões artísticas e está presente também na Mídia com diversos contornos. O Fazendo e Desfazendo o Gênero na ECA pretende colaborar para ajudar a suprir esta lacuna.

Como participar

Os interessados em apresentar comunicações deverão enviar proposta de comunicação para a organização do evento até o dia 26 de maio pelo e-mail: diversidadenaeca@gmail.com. Podem participar docentes e/ou discentes de graduação ou pós-graduação da ECA que realizem projetos de pesquisa (em andamento ou trabalhos concluídos) sobre a a temática de Gênero e Sexualidade. As propostas deverão conter:

*Título do trabalho
*Autores e autoras com vínculo institucional (estudantes de graduação, pós-graduação, docentes e departamentos)
*E-mail
*Resumo com até 15 linhas em formato word, fonte Arial, tamanho 12
*Três a cinco palavras-chave separadas por ponto e vírgula