Dança com sotaque alemão: a vida e o trabalho de Sayonara Pereira

Diferentemente do que acontece com a maioria dos professores universitários, a formação acadêmica da professora Sayonara Sousa Pereira, do Departamento de Artes Cênicas (CAC) da ECA, começou tarde. Sua primeira instrução acadêmica propriamente dita foi iniciada em 2001, aos 41 anos de idade, quando iniciou o curso de Pedagogia da Dança na Hochschule Für Musik und Tanz –Köln (Escola Superior de Musica e Dança de Colônia), na Alemanha.

Antes disso, Sayonara Pereira passou por muitas experiências e aprendizagens que ajudaram a construir sua renomada carreira como dançarina e coreógrafa. Nascida em Porto Alegre, ela começou cedo: em 1966, ainda com seis anos, ingressou na Escola de Dança João Luiz Rolla, na capital gaúcha, onde concluiu o curso de ballet clássico e  seguiu os estudos até 1980. Na sequência, foi contratada como professora do Conservatório Municipal da cidade de Montenegro (atual FUNDARTE), no qual ministrava aulas no Departamento de Dança e onde permaneceu até 1985.

Nesse meio tempo, em 1981, Sayonara foi a Nova Iorque, Estados Unidos, estudar no Alvin Ailey Dance Center. E foi ali que ela entrou no mundo da dança para valer e, aos poucos, adquiriu mais amor pela atividade: “O conhecimento que adquiri lá enriqueceu tanto a minha experiência de vida como a minha experiência dentro da dança, que decidi  transformar em atividade profissional. Fui desenvolvendo um amor muito grande pelo ofício, tive mestres que me passaram ‘a sua paixão’, e através da dança encontrei um veículo forte de expressão, do expressar-se”.


Professora Sayonara Sousa Pereira

Ao deixar o Conservatório Municipal de Montenegro, Sayonara Pereira iniciou uma jornada que percorreria por quase duas décadas. Em 1985, foi para a Alemanha estudar na renomada Folkwang Hochschule Essen (escola dirigida na ocasião pela coreógrafa e bailarina alemã Pina Bausch). Sayonara morou na Alemanha até 2004 e a vivência no país teve papel essencial não só na sua formação como profissional, mas também como pessoa.

“Não imaginava que naquelas duas décadas aquele país se transformaria na minha segunda pátria. Na Alemanha, além de ter aprendido os princípios do Tanztheater (teatro-dança), de ter estudado com renomados professores, de ter me desenvolvido e especializado como profissional da dança, me integrei aos costumes, à cultura, ao modo de ser e viver naquele país e fiz grandes amigos que levo comigo pela vida a fora”, afirma Sayonara.

Ao retornar ao Brasil, a dançarina iniciou os estudos de pós-graduação na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com estágios pós-doutorais na Alemanha e culminando nas atividades de docência e pesquisa na Escola de Comunicações e Artes da USP, a partir de 2010. Na ECA, além de ministrar aulas, participar de comissões e cargos administrativos e orientar alunos de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado, Sayonara tem seu respiro: o Laboratório de Pesquisa e Estudos em Tanz Theatralidades (LAPETT), grupo em que são criados projetos práticos a partir das pesquisas que os integrantes desenvolvem.

Sobre a junção das atividades de ensino com a pesquisa, Sayonara afirma: “A parte prática se mistura, ou melhor dizendo, dialoga muito lado a lado com a acadêmica. Tanto nas aulas ministradas ou nas pesquisas dos alunos estamos lidando com o pensar o fazer”. A professora diz que sua característica principal consiste no “fato de ser uma artista na Universidade. Organizada, centrada e, ao mesmo tempo, dentro do que é possível no lugar de trabalho, afetiva com alunos e colegas”.


Sayonara Pereira durante apresentação de dança

Muitas vezes a atuação profissional de Sayonara Pereira acaba misturando suas experiências e aptidões como dançarina, coreógrafa e professora. Segundo ela, seu trabalho não é um processo linear. “Linha talvez não seja a forma geométrica que eu escolha para me posicionar porque as três profissões foram acontecendo de maneira mais ‘rizomática’, digamos assim”, declara.

Dentro da Universidade de São Paulo, Sayonara já foi agraciada com duas honrarias. Através do grupo LAPETT, em 2012, recebeu o prêmio de Melhor Atuação de Grupo, na Categoria Artes Cênicas, no 20º Programa Nascente. Já em 2013, ganhou o “Prêmio Tutoria Científica”, que lhe proporcionou conhecer a Juilliard School, em Nova Iorque, como professora visitante.

Fora da vida acadêmica e profissional, Sayonara Sousa Pereira diz que sua grande aventura é ir ao cinema. E, claro, ela nunca deixa as viagens de lado: "gosto muito de viajar, principalmente quando consigo unir viagens que me possibilitem trabalhar um pouco, conhecer lugares novos e antigos, e reencontrar amigos queridos que estão espalhados ao redor do mundo”.

 

Texto: Gustavo Urbani Pessutti
Fotos: Agência Fapesp/ Reprodução