ECA nas mídias

De iniciativas departamentais à participação de docentes em programas de rádio, confira as produções mais recentes da ECA disponíveis na internet

 

Todos produzidos na ECA, os canais Farofa Crítica e Prosa sem Censura, o podcast Nós, mulheres negras e o programa de rádio Diversidade em Ciência encerraram o ano de 2019 com novos episódios e abordando temas variados como representatividade de gênero, direitos humanos, engajamento político da juventude e silenciamento da mídia.

O podcast Nós, Mulheres Negras, do MidiaSon, recebeu Leci Brandão, cantora, compositora e deputada estadual, que falou sobre a sua infância, carreira e família. Já no 10º episódio e último episódio do ano, é a vez da apresentadora Ester Dias se colocar na posição de entrevistada do programa, que contou com a participação de Mariana Queen, jornalista e mestra pelo Programa de Pós-graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA. Nós, Mulheres Negras é apresentado por Ester Dias e produzido pelo professor Eduardo Vicente, do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR).


Ester Dias, apresentadora do podcast Mulheres Negras, entrevista Leci Brandão. Foto: Reprodução/Facebook

O canal Farofa Crítica divulgou no final do ano uma entrevista com o professor e pesquisador da UNIFESP Tiaraju Pablo. Ele falou com Dennis Oliveira, professor do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) e apresentador do canal, sobre o conceito de sujeitas e sujeitos periféricos e da forma de pensar e fazer política dos moradores da periferia. Já em 2020, o canal recebeu Tamara Pacheco, mestra em Mudança Social e Participação Política pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP. Ela falou sobre a participação das mulheres negras no batuque de umbigada e como se dá a visão de mundo da cultura negra. Farofa Crítica é uma produção do Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação (CELACC), em parceria com o CJE e apoio do Instituto de Estudos Avançados da USP e da revista Fórum.

Prosa sem censura, canal do Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura (OBCOM) no Youtube, lançou no último mês uma entrevista com o jornalista e pesquisador Luciano Somenzari, que defendeu mestrado na ECA sobre o silenciamento da mídia em relação a temas importantes, por exemplo, o sistema carcerário brasileiro. O pesquisador é entrevistado por André Bueno e pela professora Cristina Costa, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA). Agora em janeiro, o canal lançou o vídeo da entrevista concedida pela pesquisadora Bárbara Heller, docente da Universidade Paulista (UNIP) e integrante do OBCOM, sobre as interdições ao feminino no Teatro de Revista e na internet.

Prosa sem Censura, canal do OBCOM no YouTube. Foto: Reprodução/Youtube

Gravado nos estúdios do CCA, o Diversidade em Ciência é um programa de divulgação científica voltado para as ciências da diversidade e aos direitos humanos. Neste mês de janeiro, dois novos episódios já estão disponíveis no site do Jornal da USP: uma entrevista com a professora Eunice Prudente, da Faculdade de Direito da USP, sobre mulher negra, direitos e legislação, e uma edição dedicada a discutir a importância do imaginário, filmes e literaturas no processo educacional. O entrevistado é o professor Rogério de Almeida, da Faculdade de Educação da USP, autor de vários livros sobre o tema. O programa Diversidade em Ciência é transmitido pela Rádio USP e tem direção e apresentação de Ricardo Alexino Ferreira, docente do CJE, e operação de áudio de João Carlos Megale.


O imaginário na educação é tema da entrevista com o professor Rogério de Almeida no programa Diversidade em Ciência. Foto: Ricardo Alexino Ferreira

A ECA na Rádio USP

Os professores da ECA tem participação ativa na Rádio USP, debatendo diferentes assuntos de interesse da sociedade. Todos os programas são gravados e, posteriormente, disponibilizados no site do Jornal da USP. Marisa Midori, professora do CJE e apresentadora do programa Bibliomania, encerrou o ano com um balanço para os livros e as bibliotecas no Brasil. “Foi um ano difícil, sem margem para otimismo”, avalia a docente. Em sua coluna para a Rádio USP – Na Cultura o centro está em toda a parteMartin Grossmann falou sobre as políticas do governo federal no campo da cultura em 2019. Para o professor do Departamento de Informação e Cultura (CBD), “o ano foi pontuado por descalabros, alucinações, desvarios, retrocessos, psicopatias provenientes principalmente de Brasilia e de decisões que, se não liquidaram com a cultura no âmbito das políticas culturais, a colocaram em uma posição fragilizada e de extrema vulnerabilidade”.

Política internacional é o tema de Gilson Schwartz, em Iconomia, e Marília Fiorillo, na coluna Conflito e Diálogo. O professor do CTR falou sobre o processo de desuberização do Reino Unido, após a proibição, pela segunda vez, da atuação do Uber na cidade de Londres. Já a docente do CJE encerra a sua coluna contrapondo duas vozes marcantes de 2019: a líder de Mianmar, Aung San Suu Kyi, de 64 anos, e a ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos. Para a professora, são “duas vozes opostas que nos deixaram boquiabertos. Uma, por choque e repugnância, a outra, de alegria”.

Na área de tecnologia e inovação, Luli Radfahrer comenta na coluna Datacracia sobre o funcionamento do sistema Big Data, alertando, porém, quanto ao uso político dos dados. “O dado é bom. Depende de como será usado. O dado tem o potencial de gerar uma coisa boa. O uso político que é feito desse dado varia de país para país e isso nenhuma máquina é capaz de prever”. 

 

Gostaria de ver seu trabalho divulgado nas mídias da ECA? Então entre em contato com o LAC - Laboratório Agência de Comunicação e mande pra gente a sua sugestão de pauta.

Texto: Verônica Cristo
Foto de capa: Marcos Santos/USP Imagens