IBERCOM 2015 estabelece novo paradigma no estudo da comunicação e das mídias sociais

Com o objetivo de promover o pensamento comunicacional na região ibero-americana e fortalecer a integração das pesquisas no cenário internacional, o XIV Congresso Ibero-Americano de Comunicação (IBERCOM 2015) já começou como um grande marco nos estudos da comunicação e na história da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP). O Ibercom 2015, que tem como tema central Comunicação, Cultura e Mídias Sociais, acontece de 29 de março a 2 de abril, com conferências e mesas temáticas na ECA-USP e no Complexo Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin – USP (Biblioteca Brasiliana).

Trazendo pesquisadores, professores e acadêmicos de diversas áreas dos estudos da comunicação – brasileiros e representantes de 26 países ibero-americanos – e representantes de entidades nacionais e megarregionais, o IBERCOM 2015 estabelece novos paradigmas no estudo comunicacional, especialmente no que tange às plataformas digitais. O evento é promovido pela ECA-USP, pela Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (SOCICOM) e pela Associação Ibero-Americana de Comunicação (AssIbercom).

Na visão de Maria Immacolata Vassalo de Lopes, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA) e presidente da AssIbercom, o IBERCOM 2015 “é fruto de muito trabalho de todos os acadêmicos da comunicação do mundo ibero-americano. É resultado do engajamento em estudo e pesquisa que nós temos construído nos últimos anos”.  Ela completa: “Tenho certeza de que as conclusões que estabelecermos aqui servirão de guia para muitos campos da comunicação. Isso representa um grande avanço na nossa área”.

Margarida Maria Krohling Kunsch, diretora da ECA-USP e presidente da SOCICOM, endossou a importância do evento para a valorização da unidade: “O IBERCOM 2015 é muito relevante para estabelecer a ECA como ponto de partida na promoção de uma nova pesquisa comunicacional. Este evento já antecede as comemorações de 50 anos da Escola, que acontecem em 2016”. Vale lembrar que a ECA-USP também sediou, em 1986, a primeira edição do IBERCOM, que inaugurou o compartilhamento do conhecimento comunicacional no mundo ibero-americano.
 


(da esq. p/ dir.) A diretora da ECA, Margarida Maria Krohling Kunsch, o reitor Marco Antonio Zago, o vice-diretor da ECA, Eduardo Monteiro, e a professora Maria Immacolata Vassallo de Lopes.

Precedido por dois eventos pré-congresso (o III Fórum Integrado de Comunicação Ibero-Americana, no dia 29 de março, e o II Seminário Nacional de Epistemologia da Comunicação, no dia 30 de março), o IBERCOM 2015 traz três eventos principais: a Cerimônia de Abertura seguida da Conferência Inaugural de Derrick de Kerckhove, professor da Universidade de Toronto, no dia 31 de março; a Mesa Temática 1 – Mídias Sociais como Espaço de Poder, no dia 1 de abril; e a Mesa Temática 2 – Mídias Sociais como Espaço de Cultura, no dia 2 de abril.

Além das conferências principais, o IBERCOM 2015 possui 13 Divisões Temáticas de Trabalho, que serão estudadas em 83 sessões realizadas nas tardes dos dias 31 de março e 1 e 2 abril. O maior encontro de pesquisa de comunicação do mundo ibero-americano também terá o lançamento de livros de diversos acadêmicos na ECA-USP.

A cerimônia de abertura

O IBERCOM 2015 foi inaugurada oficialmente em uma cerimônia solene na manhã da terça-feira  (31/3)  que lotou o auditório István Jancsó, na Biblitoteca Brasiliana. Os trabalhos foram iniciados por uma apresentação musical da soprano Tamara Caetano e do violinista Yuri Cardoso, sob supervisão do professor Michael Alpert, todos do Departamento de Música (CMU) da ECA-USP .

A performance dos estudantes do CMU foi seguida por uma mesa solene de abertura à qual estavam presentes: Marco Antonio Zago, reitor da Universidade de São Paulo; Margarida Maria Krohling Kunsch, diretora da ECA/USP,  Eduardo Monteiro, vice-diretor da ECA/USP; e Maria Immacolata Vassalo de Lopes, presidente da AssIbercom.

Em seu discurso de abertura, a diretora da ECA-USP destacou o pioneirismo da Escola no campo das pesquisas em comunicações. “Desde sua criação, a ECA vem cumprindo sua missão por meio de um amplo e diversificado trabalho de ensino, cultura, pesquisa e prestação de serviços. Ela detém a maior produção científica de comunicações no Brasil, e a nossa pós-graduação tem papel extremamente relevante nesse campo. Não se pode ignorar o notório pioneirismo da ECA”, declarou Margarida Maria Krohling Kunsch.

Marco Antonio Zago discursou sobre a relevância da ECA-USP perante a sociedade em geral e sobre as reverberações do trabalho na Escola no cotidiano das pessoas: “É para a sociedade que a Universidade existe. Então, qual é o impacto que nossas unidades têm na sociedade em geral e na cidade de São Paulo?  Nesse aspecto, temos que reconhecer a importância muito grande desta Unidade na cidade e no Estado de São Paulo, porque ela se reflete na vida das pessoas. Ela faz parte da nossa sociedade, quer pelos meios de comunicações, quer pelas suas vozes ou pelas artes”.

O reitor da USP ainda destacou a liderança da Universidade no campo acadêmico do mundo Ibero-Americano. “À USP, hoje reconhecida como uma universidade líder no mundo ibero-americano, cabe a obrigação de interagir imensamente nesse contexto. Este congresso vem em boa hora para valorizar essas relações no mundo ibero-americano, que tem uma estrutura cultural muito própria”, afirmou Zago

Texto: Gustavo Pessutti
Foto: Eduardo Peñuela