Pesquisa de alunos de publicidade discute a imagem de Portugal no Brasil

Os alunos do 4º semestre de Publicidade e Propaganda têm, na disciplina Pesquisa em Publicidade, ministrada pelo professor Arlindo Ornelas Figueira Neto, conhecido como Piu, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP), a possibilidade do desenvolvimento prático de um projeto completo na área. Os alunos de 2011, divididos em grupos, aplicaram  diferentes metodologias de pesquisa qualitativa em estudantes da USP e de outras grandes instituições de ensino, a fim de investigar o tema: o interesse do universitário brasileiro em realizar intercâmbio para Portugal, de modo tanto a descobrir a imagem que possíveis intercambistas fazem daquele país, como de conhecer os fatores que impulsionam ou restringem a escolha de Portugal como destino de intercâmbio.

 

 

Esse projeto acabou despertando o interesse da professora Susana Costa e Silva, da Universidade Católica do Porto (UCP), Portugal, que buscando traçar o estereótipo de Portugal propôs, agora de modo quantitativo, através de um estudo Country of Origin (COO), aprofundar a pesquisa iniciada pelos alunos de Publicidade e Propaganda do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP).  Como resultado da crescente internacionalização da ECA e reflexo dos incentivos da Pró-Reitoria de Graduação à participação dos alunos em atividades no exterior, a aluna Larissa Saggioro Macedo do Lago, do curso de Publicidade e Propaganda, foi convidada a apresentar, no dia 11 de outubro, na UCP, os trabalhos de pesquisa realizados pela sua turma no 2º semestre de 2011. Paralelamente também foram estudadas novas formas de incremento do convênio acadêmico ECA/ UCP hoje existente.

A aluna foi escolhida para a apresentação em um processo interno de avaliação onde foram destacados o desempenho no curso e na disciplina e a disponibilidade para reunir os estudos numa única apresentação, de forma que tudo ficasse correspondente. Larissa então fez essa junção e  iniciou a nova pesquisa com orientação dos professores Arlindo Ornelas, da ECA, e Susana Costa, da UCP.

A apresentação foi feita para professores e alunos do primeiro ano de mestrado em Marketing, da Faculdade de Administração. Os alunos, segundo Larissa, eram formados em graduações diversas, não necessariamente vinculadas à área de Marketing. “Como eles estavam no primeiro ano de especialização, ainda não tinham nenhuma ideia sobre o assunto. Para apresentar as nossas  pesquisas eu tive que explicar as metodologias, as técnicas aplicadas por cada grupo. Acho que para eles acrescentou bastante".

 

Aluna Larissa Lago apresentando a pesquisa na Universidade Católica de Porto

 

A primeira pesquisa, orientada pelo professor Arlindo Ornelas, foi qualitativa e foram entrevistadas cerca de 1.000 pessoas, uma mostra grande, pois cada grupo de alunos tinha um número fixo. De acordo com Larissa, na pesquisa qualitativa, a pessoa pode abstrair, responder mais livremente. Já a segunda pesquisa, da professora Susana Costa, é quantitativa, pois busca o levantamento de dados para ter algo mais definido. Na qualitativa, as respostas podem variar muito. Entretanto, Larissa comentou que não foi difícil de levantar os dados: “pudemos perceber que na USP e em São Paulo as opiniões são muito parecidas, não divergem muito".

O objetivo da segunda pesquisa é também selecionar uma mostra de 1.000 pessoas, porém pelo Brasil inteiro. “A pesquisa da professora Susana Costa, com o intuito de colher opiniões de outros lugares,  vai ser aplicada online. Vamos espalhar pela região Sudeste e Nordeste, através do Facebook. Além disso, não vamos analisar apenas as opiniões de estudantes. A Susana Costa propôs também selecionar pessoas já formadas, porque elas têm uma ideia bem diferente, assim conseguimos um público bem variado. Depois filtramos para a pesquisa do Piu apenas as entrevistas dos estudantes“.

 

Alunos da Universidade Católica de Porto

 

De acordo com Larissa, com a pesquisa pôde se observar que as pessoas têm uma imagem muito negativa de Portugal,  de um país retrógado e saudosista. “A língua (idioma) deu como fator bom e ruim na hora de decidir fazer intercâmbio em Portugal. Bom, porque facilita a adaptação, é mais fácil de se comunicar. E ruim, porque o aprendizado de um novo idioma é o principal objetivo de muitas pessoas que resolvem fazer intercâmbio. A pesquisa apresentou que o interesse em Portugal é por ser um país economicamente mais atraente, pelo custo de vida baixo, e como uma porta de entrada para o resto da Europa. A pessoa vai morar lá para pagar menos, mas seu interesse é  viajar para o resto do continente.”.

Larissa comentou ainda que os alunos portugueses foram muito receptivos com os resultados da pesquisa.  “Eles aceitaram bem a parte negativa deles, até perguntaram como mudar essa imagem, como divulgar o país. Eles se mostraram muito interessados. Os portugueses também têm uma imagem negativa do Brasil, então foi legal, pois ocorreu uma troca de informações e opiniões.”

Ao final da pesquisa, ainda esse mês, Larissa irá reunir todos os resultados dessa pesquisa em um artigo para a USP, que também será apresentado pela professora Susana Costa na Universidade Católica de Porto, Portugal.

 

por Flávia Luz