"13 andares" é a primeira produção em parceria entre a EAD e o CTR

No dia 28 de maio, às 21h, o CineSesc recebe a exibição do filme 13 andares, produzido pela Escola de Arte Dramática (EAD) em parceria com o Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR). Com direção e coordenação de Eliana Fonseca e apoio de financiamento coletivo, o longa acompanha a vida de 13 personagens cujas narrativas estão em paralelo e que se unem num prédio residencial em São Paulo, onde as personagens moram. Cada narrativa gira em torno de temáticas do amor, violência, solidão e busca por identidade.

O longa teve o auxílio de mais de 40 alunos de ambos os departamentos, sendo o primeiro trabalho da EAD voltado para o campo cinematográfico. A diretora, conhecida por seus trabalhos como Frankenstein Punk, Rá-tim-bum, Ilha Rá-Tim-Bum e Castelo Rá-tim-bum, ministrava à época da produção a disciplina de Interpretação para Audiovisual na EAD, e conta que sempre possuiu interesse na relação entre o ator com a mídia do cinema. Nas suas aulas, ela optou por deixar os alunos participarem da criação dramática de um filme, expandindo as experiências dos estudantes. No projeto colaborativo, ela viu a oportunidade de colocar ideias que tinha desde quando era aluna da EAD em prática.

O processo de criação partiu de um questionamento aos atores sobre o que eles desejariam falar no longa. A partir disso, em conjunto com os roteiristas, eles começaram a pensar e estruturar temas de interesse e que necessitavam ser debatidos. Com isso, chegou-se aos 13 personagens da narrativa, que podem ter suas características conferidas aqui.

Eliana Fonseca explica que o longa metragem foi realizado com a infra-estrutura de salas de ensaios, estúdios e equipamentos da ECA, reafirmando a colaboração voluntária de todos que atuaram no trabalho. Para a diretora, o crescimento e a importância do audiovisual no cenário brasileiro tornam de extrema importância que os alunos da EAD tenham esta qualificação em sua formação. Sobre ser o primeiro trabalho da Escola para as telonas, ela diz que surge como uma oportunidade de ver que mesmo sem a estrutura de grandes produtoras, 13 andares vem para provar que é possível realizar um ótimo trabalho sem grandes recursos. “Espero que seja o primeiro de muitos”, conclui.

Para Sandra Sproesser, professora e diretora da EAD, a Escola têm “vocação interdisciplinar”, fornecendo uma formação ampla para os seus alunos e preparando-os para as múltiplas experiências que pode ocorrer ao longo de suas carreiras. Ela afirma que parceria entre os departamentos é algo realmente bom para ambos e para a ECA, afirmando a qualidade de produção, desenvolvimento e atuação presentes no filme que possui “qualidades artísticas notáveis”.

Os ingressos para a exibição serão distribuídos uma hora antes do início da sessão.

 

Texto: Beatriz Gomes Furtunato
Fotos: Divulgação