Livro aborda práticas lúdicas no trabalho com a voz em Teatro

Publicação analisa pedagogias utilizadas na formação vocal de estudantes da área

A voz humana pode ser usada de múltiplas formas. É como se carregássemos em nosso corpo um prisma de possibilidades. Muito além de uma ferramenta de comunicação, a voz é a maneira como nos colocamos no mundo e nos relacionamos com os outros, além de suscitar questões sobre como escutamos a nós mesmos. 

Essa ampla perspectiva de possibilidades da voz foi uma das problemáticas trabalhadas por Eugênio Tadeu Pereira em sua tese de doutorado, “Práticas lúdicas na formação vocal em teatro”. Realizada no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC), a pesquisa foi transformada em livro, que acaba de ganhar sua segunda edição. O intuito do trabalho foi entender como experiências lúdicas podem contribuir para a formação vocal do estudante de licenciatura e bacharelado em Teatro. Para isso, o autor investigou práticas pedagógicas utilizadas na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

Algumas questões analisadas por Pereira surgiram em seu trabalho como docente na graduação da instituição, mas são comuns a muitos cursos de Teatro espalhados pelo país. Um exemplo, segundo o professor, é a tensão que tomava conta dos alunos no momento de proposição das práticas técnicas: a atmosfera de espontaneidade e leveza se dissipava completamente, e os corpos dos estudantes voltavam a ficar rígidos durante os exercícios. Tais dificuldades eram demonstradas por uma insuficiente escuta da própria voz e da voz do outro, além do receio de se expor, a pouca noção dos alunos sobre a produção do fenômeno vocal e a ausência de uma correlação entre voz e corpo  esse último, item essencial para quem trabalha com a voz.

Pereira vê no lúdico e nos jogos teatrais uma maneira de trazer essa conscientização sobre a relação corpo-voz de uma forma mais leve e descontraída, valendo-se de aspectos intrínsecos aos jogos, porém aplicados na abordagem dos exercícios técnicos. Para ele, os trabalhos relacionados à voz necessitavam de uma maior reflexão e revisão, o que significava repensar os procedimentos aplicados em sala de aula. "Como uma atitude lúdica pode intervir na formação vocal do estudante de graduação em teatro? Quais são os princípios da relação lúdica nas atividades de sala de aula? Elas estão presentes tanto no adulto como na criança? Há diferenças entre elas?"

Essas são algumas das diversas inquietações que nortearam Pereira durante a pesquisa. Oferecendo um panorama de todos os aspectos que influenciam a formação vocal e a proposição de práticas pedagógicas lúdicas, o livro apresenta capítulos que tratam da sala de aula como lugar de experiências, da configuração da voz e da constituição da situação lúdica, entre outros tópicos. Com este trabalho, o professor e pesquisador demonstra que “a partir de um conhecimento técnico vocal mobilizado dentro de uma atividade lúdica, as possibilidades de uso da voz poderiam ser ampliadas, gerando uma nova perspectiva a esse tipo de experiência”.

Para mais informações sobre o livro, clique aqui.

 

Texto: Samantha Nascimento Silva