'Diversidade em Ciência': a periferia como novo espaço emancipatório

26/08/2017 14:00
26/08/2017 15:00

Ricardo Alexino Ferreira entrevista a arquiteta e doutora em Ciências da Comunicação Fabiana Félix do Amaral e Silva, que analisa como as periferias vêm construindo ações emancipatórias frente às imposições hegemônicas. A entrevista vai ao ar neste sábado, dia 26 de agosto, às 14 horas, no Diversidade em Ciência, programa da Rádio USP.

A esse fenômeno, Fabiana Amaral chama de novas subjetividades subalternas, em que os sujeitos das periferias constroem novas percepções culturais, sociais e políticas. Para melhor analisar esse processo, ela faz interseção entre a arquitetura e a comunicação como elementos intrínsecos nesses espaços das classes subalternas.

Como campo de estudo, a pesquisadora analisou a Rede Livre Leste, em São Paulo. Criada em agosto de 2009 por meio da articulação de coletivos artísticos da periferia da Zona Leste, a rede nasceu com a intenção de realizar intervenções artísticas em espaços públicos que coloquem em questão o lugar da produção artística da periferia, dentro do circuito cultural da cidade de São Paulo. Esse estudo foi tema de sua tese de doutorado, defendida na ECA em 2011, que teve como título Novas subjetividades subalternas na cidade: cultura, comunicação e especialidade.

Fabiana Amaral é pós-doutoranda no Programa de Pós-graduação Mudança Social e Participação Política, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) e professora de Gestão em Projetos Culturais do Centro de Estudos Latino-americanos sobre Cultura e Comunicação (CELACC-USP). Ela pesquisa atualmente a produção desigual do território e as novas experiências do viver e pensar a cidade como direito e espaço de liberdade.

Fabiana Amaral comenta estudo que realizou sobre os movimentos emancipatórios na periferia de São Paulo

Gravado no estúdio do Departamento de Comunicações e Artes/Educomunicação, o Diversidade em Ciência vai ao ar toda segunda-feira, às 13h, com reapresentação aos sábados, às 14h, com direção e apresentação de Ricardo Alexino Ferreira e edição de áudio de João Carlos Megale.

A Rádio USP-FM pode ser sintonizada em 93,7 MHz/SP ou pelo site do Jornal da USP.

 

Texto: Ricardo Alexino Ferreira
Foto: Arquivo pessoal da entrevistada