Inteligência artificial é o futuro da arte? Descubra na nova exposição do Espaço das Artes

07/10/2019 10:00
14/11/2019 20:00

Pós-Gráfica é resultado do trabalho dos alunos do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais

A produção gráfica pode se expressar de diferentes maneiras: gravuras em metal, litografia e mesmo software para desenhos. Foi pensando nessas formas que sete artistas do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais (PPGAV) conceberam a exposição Pós-Gráfica, em cartaz no Espaço das Artes. 

Os artistas estudam poéticas visuais na ECA e têm seus trabalhos apresentados em diferentes meios: gravura, fotografias, desenhos, livros-objeto, instalações e muito mais. O que une todos é justamente a utilização de diferentes processos de impressão, que serviu de inspiração para o nome da mostra.

Sérgio Venancio, mestrando no Programa de Pós-graduação em Artes Visuais, apresenta sua dissertação no EdA, no dia 11 de outubro. Orientado pela professora Silvia Regina de Laurentiz, o artista utilizou do software Extentio para fazer os desenhos. O programa simula um processo de desenho de observação por meio de capturas de uma câmera digital, utilizando algoritmos de inteligência artificial. 

O artista começou a desenvolver o programa antes de ingressar no mestrado. Com o tempo, o software evoluiu para uma espécie de simulador de desenho de observação, incorporando conceitos de Visão Computacional e Machine Learning. 

Sérgio explica como funciona no vídeo a seguir, feito para o UOL Tab, na matéria Toda arte é artificial:

Sua pesquisa de mestrado tem relação direta com a história da relação entre artes e inteligências artificiais. O mestrando procurou referências em nomes como Ada Lovelace, Alan Turing até a primeira obra de I.A., leiloada por meio milhão de dólares. A discussão gira em torno da pergunta: “pode uma página criar algo?”.

“No que pude concluir, estamos ainda bastante distantes desta realidade, pois uma máquina precisaria desenvolver muitas habilidades cognitivas antes de criar da mesma forma que os humanos criam”, diz Sérgio.

Mesmo que a I.A. por si só não seja capaz de criar algo, o uso dessa tecnologia por artistas possibilita que eles utilizem novas linguagens e técnicas para criar obter resultados totalmente inovadores. “O software não tem a pretensão de ser uma inteligência artificial que cria algo, mas sim uma I.A. que interfere de forma propositiva no meu próprio processo criativo com desenhos”, explica o artista. Para ele, o Extentio é extensão de uma inteligência artística. 

O software, em conjunto com seu criador, gerou obras como as mostradas abaixo, já expostas no EdA:


Foto: Sérgio Venancio

A exposição está disponível para visitação de segunda a sexta, das 10h às 20h, até o dia 14 de novembro. A entrada é gratuita.

Serviço:
Exposição Pós-Gráfica
Data: 7 de outubro a 14 de novembro
Horário: 10h às 20h, de segunda a sexta
Local: Espaço das Artes (Rua da Praça do Relógio, 160, Cidade Universitária)