Alunos de audiovisual participam de projeto da Rede Globo

Os alunos Lucas Sátolo do Canto, Ricardo Santos Sant’Anna, Roberto Simão Pereira Júnior e Victoria Negreiros Guedes, do curso de audiovisual do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), participaram no mês de fevereiro do projeto Globo Lab, criado pela Rede Globo, cujo objetivo é promover o intercâmbio, compartilhamento e cocriação de ideias entre jovens estudantes.


Destacados na foto, da direita para a esquerda e de cima para baixo, estão os alunos Lucas Sátolo, Roberto Simão, Victoria Negreiros e Ricardo Sant'Anna, alunos de audiovisual da ECA que participaram do projeto Globo Lab, da Rede Globo. Imagem: Reprodução

O objetivo desta edição do projeto era que os participantes criassem uma campanha digital para a nova temporada da novela Malhação: vidas brasileiras, escrita por Patrícia Moretzsohn com a supervisão de Daniel Ortiz, que estreia no dia 7 de março . Desenvolvendo ideias a partir do conceito proposto pela nova temporada de “como eu sou, como eu me vejo e como os outros me veem”, os participantes do Globo Lab criaram roteiros a partir das múltiplas personalidades existentes dentro de um mesmo grupo social, nas relações entre o que o indivíduo é no âmbito público e privado e na existência de diversas partes de pessoas que ajudam a constituir um todo. Os roteiros também trabalharam com a questão de múltiplos formatos, como a selfie, e as chances de execução do projeto em múltiplas plataformas.

Entre os dias 5 e 7 de fevereiro os alunos da ECA, junto com outros 16 estudantes da área de audiovisual do Rio de Janeiro e São Paulo, fizeram uma imersão no mundo da novela para ter material para trabalhar. Intercalando atividades de imersão na novela com a produção da campanha, os jovens participaram de dinâmicas de criação, assistiram a palestras inspiracionais e de briefing sobre a campanha de lançamento, fornecidas por profissionais de comunicação e mídias sociais da própria emissora, além de conversarem com os atores que farão parte desta temporada e realizarem um tour pela cidade cenográfica, acompanhados pelo cenógrafo da novela.


Estudantes durante visita à cidade cenográfica, acompanhados pelo cenógrafo da novela Malhação. Imagem: Rede Globo/ Gabi Carrera

Os 20 jovens foram divididos em quatro grupos diversificados, em que cada um dos membros tivesse diferentes conhecimentos dentro da área audiovisual. Cada grupo apresentou ao menos quatro projetos de vídeo-divulgação da nova temporada da novela numa banca preliminar, apresentando, por fim, um projeto único na banca final, que aconteceu no terceiro e último dia do laboratório. Ao final do projeto, não houve apenas uma proposta selecionada, mas uma mistura de todas as propostas das equipes.

Lucas Sátolo, um dos estudantes selecionados para participar do projeto, explica que a Malhação desse ano “tem como mote a questão da uniformização dos estudantes: seus prós e contras” e, por conta disso, o resultado do projeto visava abordar essa questão por meio de mini documentários com os atores da trama que, por exemplo, contariam suas experiências durante a vida escolar; também foi produzido um vídeo-teaser da nova temporada e filtros para foto de perfil nas redes sociais, entre outros. O estudante conta que o ritmo do projeto foi bastante intenso e continha um lado mais publicitário que, até aquele momento ele não tinha entrado em contato, mas que foi importante. “Volto [para a graduação] com mais atenção ao pensar em público-alvo, ao fazer apresentação de projetos, e ao converter conceitos abstratos [temas, assuntos, características] em matéria visual e interativa”, conclui.


Victoria Negreiros (ao centro) durante a elaboração do projeto audiovisual em grupo. Foto: Reprodução 

Sobre a participação no projeto, Roberto Simão conta que foi uma experiência importante que reflitirá não somente na graduação, mas também na vida pessoal e profissional. “Conversar com os participantes do projeto foi de um enriquecimento único, ouvir suas ideias, muitas delas convergentes com as nossas próprias, nos aproximou. Lá, todo mundo estava com a gana de fazer bem, de fazer o seu melhor, e trabalhar num ambiente assim é muito estimulante. Fora que estávamos num lugar com uma infraestrutura de qualidade, com profissionais competentes e dispostos a nos ouvir a todo instante. Foi um encontro que marcou todo mundo sem sobra de dúvidas”, explica.

Os estudantes pontuam que participar do projeto foi primordial para aprender e participar de coisas que eles não costumam realizar dentro do curso de graduação. “Pensar em um produto que possui uma certa demanda e precisa atingir determinado público não costuma ser feito no meu curso. Além disso, não costumamos pensar em meios de veiculação das nossas obras, mas agora pensarei nisso e tentarei trazer essa questão para meus colegas”, revela Ricardo Sant’Anna. Já para Victoria Negreiros "Lidar com outros contextos de realização audiovisual, ainda mais envolvendo concepções sobre público e mercado, é sempre muito esclarecedor para nós que desejamos nos tornar realizadores. Por vezes, alguns desses conceitos de realização não são muito debatidos dentro da Universidade, e são essenciais para se pensar em contexto de realização brasileira atual. No mais, entrar em processo de criação intensa com pessoas de experiências diversas foi muito bom, pois possibilitou que pensássemos em um produto audiovisual, mas com a ótica de várias áreas, por exemplo, a publicidade", conclui. 


Um dos resultados dos projetos desenvolvidos pelos participantes do GloboLab postado nas mídias sociais da emissora. Foto: Sérgio Zalis/ Edição: Rodrigo Siqueira

 

O resultado dos projetos desenvolvidos pelos jovens participantes estão sendo divulgados gradativamente nas mídias sociais da Rede Globo. 

 

Texto: Beatriz Gomes Furtunato