Com dissertação, aluna do PPGCI vence Prêmio Laura Russo de Biblioteconomia

No dia 12 de março, quando é comemorado o Dia do Bibliotecário, ocorreu o XIII Prêmio Biblioteconomia Paulista Laura Russo, no SESC 24 de Maio, em São Paulo. A aluna do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI), Thaísa Alves Dias, venceu na modalidade Trabalhos Acadêmicos (Dissertações de Mestrado) com a pesquisa Biblioteca e educação: um estudo sobre acolhimento em dispositivos culturais para crianças, orientada por Ivete Pieruccini, professora do Departamento de Biblioteconomia e Documentação (CBD).


Thaísa Dias entrelaçou sua história pessoal, vivência no trabalho e estudos em infoeducação para realizar sua dissertação de mestrado. Foto: acervo pessoal da entrevistada

A tese premiada

A dissertação tem por objetivo central discutir o acolhimento de crianças não-alfabetizadas na biblioteca. Como acolher de forma significativa crianças em idade pré-escolar, considerando os contextos sociais, singularidades afetivas e culturais? é o problema levantado pela dissertação. Para isso, parte do princípio de que, para constituir vínculos com a biblioteca, é essencial o diálogo e familiarização entre indivíduos e o patrimônio cultural ali presente. 

Thaísa conta que, na sua infância, ela frequentava a biblioteca do centro de sua cidade, que oferecia uma dinâmica de cópias dos livros ao invés dos empréstimos. Incentivada pela sua curiosidade, ela se cadastrou para obter empréstimo domiciliar. Foi quando teve a oportunidade de conhecer a "gigante, encantadora, misteriosa e fascinante" biblioteca, relata a aluna na dissertação.

Ela lembra de percorrer as estantes e aprender sobre como os livros eram organizados, descobrindo onde seus assuntos de interesse se encontravam. No entanto, Thaísa conta que essa exploração foi solitária; não havia uma guia para orientá-la. “Mesmo não tendo sido devidamente acolhida, eu me sentia pertencente àquele espaço, que se tornou meu refúgio, meu porto seguro, uma vez que me afastava da dura realidade de uma infância pobre e cheia de desafios e responsabilidades que a vida desde cedo me colocou. Construí uma relação afetiva com a biblioteca (...)”, diz a mestre.


Thaisa Alves (segunda à esq.) e a professora Ivete Pieruccini, do CBD (segunda à dir.) durante a entrega do Prêmio Laura Russo. Foto: Edi Fortini

Após o término da graduação em Biblioteconomia, Thaísa foi convidada para trabalhar como coordenadora de projetos na biblioteca de um Centro Educacional Unificado (CEU), experiência em que percebeu que por mais que ela efetuasse ações significativas de incentivo à leitura e acesso à biblioteca, os frequentadores não retornavam ao local. Assim, ela concluiu que o elo entre indivíduo-biblioteca era algo difícil por conta de problemas sociais, fraturas culturais e circuitos em que a biblioteca do CEU estava inserida. A abordagem da infoeducação foi a base para discutir as mediações naquele e outros espaços relacionados.

Sobre o prêmio, a aluna comenta que “foi uma grande surpresa. Realizei a inscrição por indicação da minha orientadora, professora Ivete Pieruccini, mas não esperava receber a premiação. Fiquei muito lisonjeada e agradecida pelo reconhecimento da relevância dessa pesquisa para o campo.”

O prêmio Laura Russo de Biblioteconomia possui o intuito de homenagear profissionais, estudiosos e instituições da área de biblioteconomia que tenham se destacado em suas realizações. O tema deste ano foi Biblioteca Escolar para Todos, enfatizando como a biblioteca na escola é importante para a formação global do indivíduo.

A dissertação premiada está disponível no Portal de Teses da USP.

 

Texto: Letícia Passarinho