Congresso Mundial de Comunicação reúne pesquisadores de países ibero-americanos

Entre os dias 1 e 4 de agosto, o 1º Congresso Mundial de Comunicação Ibero-Americana  reúne na ECA pesquisadores de diversos países, como México, Portugal, Espanha, Estados Unidos, Bolívia e Argentina.
 
Professora Margarida Kunsch, coordenadora-geral do congresso
 
 
 
Segundo a professora do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) Margarida Kunsch, coordenadora-geral do evento, o tema foi escolhido “ justamente para debater e trazer novas reflexões sobre os sistemas de comunicação dos países ibero-americanos". O principal objetivo é fortalecer a integração das culturas ibero-americanas e, ao mesmo tempo, projetá-las no panorama internacional.
  
A ideia de realizar o congresso veio com a criação da Confederação Ibero-Americana de Associações Científicas e Acadêmicas da Comunicação (CONFIBERCOM), em 2009, na Ilha da Madeira. O objetivo da diretoria da Confederação era organizar um congresso de nível internacional que contemplasse a questão da comunicação na Ibero-América. Já então, o Brasil havia sido convidado para sediar o evento.
 
Margarida afirma que a realização de um Congresso como esse é um grande desafio. “No início, não contávamos com uma grande estrutura em termos de espaço ou de recursos financeiros”, conta. Para ela, uma boa organização foi primordial para que o evento pudesse acontecer. “É a primeira vez que abrigamos um Congresso dessa magnitude na ECA”, diz.
 
A professora conta que o primeiro passo foi elaborar um projeto contendo a concepção e as propostas básicas do Congresso. O projeto foi amplamente discutido com a diretoria da CONFIBERCOM, da Federação Brasileira de Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (Socicom) e com um comitê, formado por representantes de diversas entidades de comunicação do Brasil. Os trabalhos de organização em torno da realização do Congresso vêm acontecendo desde 2009, ano da fundação da CONFIBERCOM.
 
“O público-alvo são professores, pesquisadores, profissionais da área de comunicação e estudantes de pós-graduação”, afirma Margarida. Para ela, o Congresso possui um caráter político-estratégico e vai servir para mostrar como a produção acadêmica e científica de comunicação na região ibero-americana é importante. Isso pode aumentar o interesse de outras comunidades do mundo pelo assunto.
 
Após o evento, será produzido um livro, em que vão constar os painéis centrais do Congresso. Além disso, a coordenação vai disponibilizar um livro eletrônico contendo os trabalhos apresentados nas sessões temáticas dos dias 1 e 2 de agosto.
 
A organização do Congresso é do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCOM) e do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) da ECA.  O evento é promovido pela Confederação Ibero-Americana de  Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (CONFIBERCOM) e pela Federação Brasileira de  Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (SOCICOM).

 

 

 por Leonardo Maran