Painel do CONFIBERCOM questiona a comunicação ibero-americana

 Na segunda-feira (1 de agosto), a partir das 9h, o 1º Congresso Mundial de Comunicação Ibero-Americana (CONFIBERCOM 2011) apresentou o painel Sistemas Ibero-Americanos de Comunicação, sob coordenação do diretor da ECA Mauro Wilton de Sousa. No evento, professores e pesquisadores de diferentes nacionalidades mostraram propostas e questionamentos ligados à situação atual da comunicação na região ibero-americana.
 
Professor Erick Torrico apresenta a mídia boliviana através
da situação política do país.
               
A professora da UNESP Anita Simis abriu o painel com uma apresentação sobre a compreensão dos brasileiros em relação à indústria cultural de outros países. Anita propôs a formação de um observatório ibero-americano de democratização da informação e da cultura, que utilize um método comparativo para descobrir pontos de semelhança entre esses países.
               
Bernardo Diaz Nosty, professor da Universidad de Málaga, da Espanha, apresentou a proposta da elaboração de um mapa que investiga a geografia cultural latino-americana. Segundo ele, a globalização pode estar equalizando a diversidade dos países da região. Já o professor Erick Torrico, da Universidad Andina, da Bolívia, falou sobre a reconfiguração do campo midiático boliviano a partir dos aspectos políticos ocorridos no país entre os anos de 2006 e 2011.
               
Sobre as tendências históricas da mídia latino-americana, o professor da Universidad Quilmes, da Argentina, Martin A. Becerra apontou a lógica comercial de funcionamento dos meios de comunicação e a falta de regulação das mídias na região. Fechando as palestras, o professor Pedro Jorge Braumann, da Escola Superior de Comunicação Social do Instituto Politécnico de Lisboa, de Portugal, falou sobre o mercado midiático global e sobre o caso de Portugal, inserido no contexto ibero-americano.
               
O professor Emílio Prado, da Universitat Autònoma de Barcelona, na Espanha, fez um comentário geral sobre as apresentações, citando os principais pontos levantados durante as palestras. Perguntas do público aos palestrantes finalizaram o painel.

por Leonardo Maran