Debates sobre a Graduação da ECA: Atualização da Formação Acadêmica em Comunicações e Artes

Fórum de Graduação da ECA


 

Mesa de debate na noite do dia 12/4 com o aluno da PUC que representou a ENECOS e os professores convidados: Milton Andrade, Arlindo Ornelas, Sônia Salzstein e Eugênio Bucci

 

O Fórum de Debates sobre a Graduação da ECA: Atualização da Formação Acadêmica em Comunicações e Artes teve início segunda-feira de manhã e deve se estender por todo o semestre. Há 40 anos as estruturas curriculares não eram formalmente discutidas na ECA. Entre os temas mais relevantes, destacam-se os projetos político-pedagógicos das habilitações, as grades curriculares e o foco da formação.

A abertura do evento contou com a presença da Pró-Reitora de Graduação da USP, professora Telma Maria Tenorio Zorn; do Diretor da ECA, professor Mauro Wilton de Souza; do professor  Arlindo Ornelas Figueira Neto, presidente da Comissão de Graduação e da aluna de Jornalismo, Mariana Desidério, representante discente da Comissão de Graduação da ECA.

 

Dia 12 de abril de 2010


Manhã

Formação acadêmica na USP
 
A exposição foi feita pela professora Maria Isabel de Almeida, da Faculdade de Educação. Ela enfatizou a importância de que os cursos de formação acadêmica acompanhem as transformações sociais. Incentiva a articulação entre as disciplinas e a qualidade da formação. Falou sobre currículo, práticas pedagógicas, evasão, inclusão, sistemas de cotas, pesquisa acadêmica e inserção no mercado de trabalho. E reforçou que o ensino de graduação deve ser  prioridade na Universidade, que deveria ter a responsabilidade de formar profissionais e pesquisadores capazes de desenvolver uma atuação ética e democrática. Maria Isabel disse ainda, que a aprendizagem está fortemente relacionada à formação pedagógica dos professores, que deveria ser incentivada pela universidade.

A Formação Acadêmica em Comunicação e Artes na Contemporaneidade

 
A mesa foi coordenada pelo presidente da Comissão de Graduação, o professor Arlindo Ornelas Figueira Neto, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo.
 
Estudante Thiago Mahrenholz, representante da ENECOS
 
O primeiro a expor foi o representante da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (ENECOS), o estudante Thiago Mahrenholz, do curso de Audiovisual da ECA, que ressaltou a importância da formação humanística. Thiago falou sobre o papel da USP na formação de cidadãos críticos e inseridos na comunidade com responsabilidade social. Outra preocupação exposta pelo estudante foi sobre os estágios, que deveriam ser “fiscalizados para que não haja utilização de mão de obra barata” sem a devida aprendizagem e supervisão. A ENECOS se colocou contra as parcerias com empresas para ministrar disciplinas na ECA e cobrou a participação de alunos e funcionários para que sejam construídas coletivamente as novas grades.
 
Professor Norval Baitello Júnior, da Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP)

O professor Norval falou sobre sua experiência com as reformas curriculares na PUC , na opinião dele, malsucedidas. Alertou para o perigo de uma reestruturação nos cursos, mas insistiu na importância de se reformar, tendo em vista as enormes transformações tecnológicas das últimas décadas.
Comentou que os alunos deveriam estar totalmente envolvidos neste Fórum e afirmou que não se deve apenas ouvir e seguir o mercado, mas construí-lo. Norval incentiva a interdisciplinaridade e a interação com outras universidades de comunicação para a troca experiências.
 
Professor Milton Andrade Leal Junior, da Universidade do Estado de Santa Catarina
 
O professor Milton considera que é fundamental travar uma batalha política para a autonomia da Universidade em relação à sistemática administrativa do Estado, que nem sempre se enquadra nos propósitos político-pedagógicos da Instituição. Cita Winnicott e diz que ação cultural é sonho e projeto compartilhados. Milton busca apoiar a arte e o espaço de convivência entre os alunos e incentivar a interdisciplinaridade.
 
Professora Sônia Salzstein Goldberg, do Departamento de Artes Plásticas
 
A professora Sônia apoia que a universidade forme indivíduos que irão “influenciar politicamente no desenvolvimento social do país”. Ao se focar no campo das artes, disse que nos últimos 20 anos o meio artístico tem se profissionalizado cada vez mais. Ela questiona o “ou” entre vocação acadêmica ou se integrar às necessidades do mercado e diz que este deve ser um lugar social. Sônia ressaltou, ainda, a importância da formação cidadã e continuada.
 
Professor Eugênio Bucci, do Departamento de Jornalismo e Editoração
 
O Professor Eugênio Bucci afirmou que mercado não deve ser enfrentado, mas sim visto com um olhar crítico, como representação da sociedade. Bucci disse que qualquer redação é totalmente integrada e que todos são multimídia hoje em dia. “Parece que a ECA foi atropelada pelas tecnologias”, o desafio é superar o trauma com a tecnologia e ser um profissional que atue em diversas áreas. Expôs que é indispensável o vínculo entre os departamentos e elaborou alguns eixos para o Jornalismo: linguagem, democracia e liberdade, estudos da comunicação, humanidades, reportagem, cultura e crítica, gestão e negócio.
 
Debate
 
Após a exposição dos convidados, iniciou-se o debate com os demais professores, alunos e funcionários.

Tarde e Noite

Durante a tarde, professores e alunos se reuniram nos departamentos para discussão dos cursos. À noite a exposição e debate A Formação Acadêmica em Comunicação e Artes na Contemporaneidade foi realizada para os alunos do noturno.

 

Plateia da edição noturna do Fórum

 

Dia 13 de abril 2010

Reuniões nos departamentos

Durante a manhã foram realizadas reuniões entre professores, coordenadores e alunos nos departamentos, com a discussão e problematização dos projetos político-pedagógicos. As temáticas abordadas foram a adequação à realidade da atual formação acadêmica, a grade curricular, o perfil do egresso, a formação teórica e prática, entre outros temas. No período da tarde foram elaborados relatórios sobre as discussões.