Alunos da ECA criam campanha de recepção aos calouros da USP, “Chega Mais”

Ao longo deste semestre, os alunos do terceiro ano do curso de Publicidade e Propaganda tiveram a missão de desenvolver a campanha de recepção aos calouros da USP de 2019. A agência-laboratório Meia, formada pelos alunos Ana Cláudia Goulart, Isabela Durão, Giovanna Kalume, Matheus Massa, Mateus Rila e Rudi Solon, foi selecionada com a campanha Chega Mais.

A atividade faz parte da disciplina Arte Publicitária, ministrada por Dorinho Bastos, professor do Departamento de Relações Públicas, Publicidade e Turismo (CRP). Todos os estudantes tiveram uma reunião de briefing com o professor Oswaldo Crivello, responsável pelo movimento de recepção dos alunos e, “a partir da reunião, a gente desenvolveu a campanha”, segundo Rudi Solon.

O professor Dorinho Bastos afirma que não se envolve na seleção, já que participa do processo de criação com os alunos. “Eu só torço”, diz. “Acho que tivemos muitos trabalhos excelentes esse ano. Praticamente todos podiam ser veiculados, mas a gente tinha ali três ou quatro mais criativos”.


A agência Meia, composta por seis alunos do terceiro ano do curso de Publicidade e Propaganda. Foto: Divulgação

As agências-laboratório apresentaram seus trabalhos na Sala do Conselho Universitário, na Reitoria, para os responsáveis pela recepção aos calouros de cada unidade. “Eu faço uma ficha com os nomes das agências, dos alunos, e deixo um espaço branco para as pessoas que estão assistindo, convidados da Reitoria, colocarem suas observações”, conta o professor. Com esse suporte, há uma reunião com os convidados, quando é escolhida a campanha do próximo ano.

A campanha

Alguns problemas para os quais os alunos precisavam criar soluções eram como “chamar atenção dos alunos?”, “como conversar ao mesmo tempo com veteranos e calouros?” e “como falar sobre a não-violência sem falar sobre violência?”.

A agência Meia afirma que os recentes ataques à liberdade de pensamento nas universidades inspiraram a criação da campanha Chega Mais. “O nosso objetivo era trazer um ambiente de acolhimento na universidade”. Isso pode ser notado nos textos dos materiais desenvolvidos, pois “eles trabalham a ideia de que a universidade é um espaço pra todos, que todos podem construir juntos”, explica Rudi Solon. A equipe também optou por buscar um compartilhamento de experiências positivas entre veteranos e calouros, por isso o nome Chega Mais.


Cartazes da campanha Chega Mais

Os alunos tiveram liberdade para criar os materiais que eles achassem pertinentes e, como resultado, sugeriram artes para cartazes, adesivos, cartões postais, marcadores de página, totens e outdoors.

Rudi acredita que sua campanha e dos colegas foi selecionada porque conseguiram construí-la de maneira descontraída, já que entender a linguagem do aluno, tanto do calouro, quanto do veterano, podia ser um obstáculo para o cliente. “O nosso insight para o Chega Mais foi trazer esse assunto da violência de uma maneira leve e que converse com a linguagem dos alunos da USP”, diz o estudante.

Para Dorinho Bastos, o bordão foi um dos pontos positivos. “É aquela estratégia da comunicação de você criar um bordão, dar um nome a ela”. Além disso, ele acredita que a agência vendeu bem o trabalho: “é uma agência muito simpática”.

Texto: Mirella Coelho