Arte, política e mulheres na América Latina é o tema da nova edição da revista Extraprensa

O Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação (Celacc) acaba de publicar a nova edição da revista Extraprensa. A publicação traz artigos escritos entre janeiro e junho deste ano com o tema Arte, política e mulheres na América Latina, que vem ao encontro da discussão política atual no Brasil, envolvendo também a crise educacional e práticas discriminatórias contra vários segmentos, como mulheres, negros, LGBTs, povos indígenas e nordestinos.

Esta edição é um convite à reflexão sobre silenciamentos históricos, com artigos como o que analisa o papel de mulheres jornalistas na produção de reportagens investigativas durante o período da ditadura no Brasil, de Cândida de Oliveira, Criselli Montipó e Magali Moser; ou o que trata das mulheres da Amazônia, de autoria de Fabiana Nogueira Chaves e Maria Rita de Assis César. Ainda no campo da luta política stricto sensu, Luiz Ademir de Oliveira e Deborah Luísa Vieira dos Santos analisam como o documentário O Processo, de 2018, retratou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff ocorrido no ano de 2016, visto por grande parte do pensamento político como uma nova modalidade de golpe de Estado. 

O cenário da ditadura militar também é o pano de fundo para se discutir a diversidade das existências femininas no Brasil dos anos 1970, em artigo de autoria de Nadiesda Carolina Dimambro Capuchinho. Mulheres artistas são personagens centrais no artigo sobre a música de Elza Soares, de autoria de Cláudio Rodrigues Coração e Francielle de Souza. As obras da artista plástica mexicana Remedios Varo são analisadas por Juliana Michelli da Silva Oliveira. Destaque também é a leitura histórica da obra musical de Eunice Katunda e o resgate de sua influência na música erudita brasileira, em artigo escrito por Amilcar Zani, Eliana Monteiro da Silva e Marisa Milan Candido. 

A revista ainda apresenta um artigo de Carmem Rocher sobre as possibilidades de construção de um olhar feminino do gestar e parir na obra da artista argentina Nicola Costantino. E fecham esta edição os artigos que propõem uma análise do discurso das celebridades sobre o parto humanizado, de autoria de Camila Rabelo Coutinho Saraiva e Maria Angela Pavan, e o estudo das experiências diaspóricas de estudantes haitianas na Universidade Federal da Integração Latinoamericana em Foz do Iguaçu, no Paraná, em  texto de Angela Maria de Souza e Karina Schiavini.

Diante dos atuais acontecimentos na área sociopolítica e também na educação, o coordenador do CELACC, professor Dennis de Oliveira, afirma a importância dos temas apresentados nesta edição: “a riqueza e a sofisticação das reflexões aqui apresentadas mostram que, de fato, quem aposta na irracionalidade como forma de estabelecer suas lógicas de sociabilidade tem razões de sobra para temer o espaço acadêmico.”

Acesse a revista na íntegra pelo Portal de Revistas da USP.