Bolsa de empreendedorismo oferece intercâmbio profissional no exterior; veja relato de bolsista e inscreva-se

Auxílio é oferecido pela Agência USP de Inovação; aluno de Relações Públicas trabalhou em startup de Londres e conta sua experiência

 

Ter uma experiência profissional fora do Brasil é certamente um bom adicional no currículo. Mais do que isso, é um grande aprendizado e uma oportunidade única. Entre as opções de intercâmbio que a USP oferece, está a mobilidade de empreendedorismo da Agência USP de Inovação (AUSPIN). Com inscrições abertas até o dia 20 de julho, o edital oferece bolsas para alunos de graduação que queiram ter a vivência internacional.

Victor Rocha, recém-formado em Relações Públicas, foi um dos alunos contemplados pela bolsa em 2019.  De janeiro a julho, o ecano trabalhou em uma fintech – startup no ramo de serviços financeiros – na cidade de Londres. "Eu queria muito trabalhar lá fora. Na época, eu achei que seria mais interessante ter uma experiência profissional", conta.

A mobilidade da AUSPIN oferece dois tipos de bolsas, que podem ser utilizadas em instituição de ensino, de pesquisa, empresas com base tecnológica e organizações. O tipo A é voltado para projetos de inovação e empreendedorismo propriamente ditos. Já o tipo B é destinado a alunos participantes de entidades estudantis que tenham projetos focado na melhoria das práticas de empreendedorismo na USP.

Durante os meses que passou na Inglaterra, Victor trabalhou na Trezeo, uma startup que busca oferecer estabilidade financeira para trabalhadores autônomos. No departamento de marketing, a função dele era atrair motoboys para que começassem a usar o app. 

Já acostumado com o mercado brasileiro, tendo trabalhado em agências de publicidade e em empresas de grande porte, o ecano conta que o que mais o surpreendeu foi a dinâmica de trabalho da startup. "Eu nunca tinha trabalhado com uma equipe tão pequena e com tanto pouco recurso. Tudo que a gente fazia era sempre discutido com todo mundo – que no total eram umas seis, sete pessoas. Todo mundo se ajudava, independente da área."

 

Como se inscrever para a bolsa da AUSPIN

A inscrição é feita pelo Sistema Mundus. Os documentos necessários são a carta de aceite da instituição de destino, o plano de atividades e a comprovação de proficiência na língua estrangeira, se requisitado. Todos os procedimentos, prazos e documentações podem ser vistos no edital. 

No caso de Victor, o objetivo era ir para alguma cidade de língua inglesa no continente europeu. "Eu queria muito ir para a Europa pela possibilidade de conhecer outros países e pela facilidade de viajar entre eles". Para isso, ele começou a busca por empresas até se deparar com a Trezeo. Após explicar seu projeto, elaborado segundo as necessidades do departamento de marketing, passou por duas entrevistas e foi contratado. 

Aluno intercambista da ECA em ponto turístico de Londres

Recém-formado em Relações Públicas, Victor passou seis meses trabalhando em uma startup em Londres. Foto: Arquivo pessoal/Victor Rocha.

Para quem se interessa, o intercambista aconselha "procurar tudo com bastante antecedência, separar um bom tempo pra escrever um projeto de qualidade e se tiver qualquer dúvida, enviar um e-mail para a AUSPIN."

A experiência, no final, valeu muito a pena. "Ter feito esse intercâmbio foi uma das melhores decisões que eu tomei na minha vida até agora. Desde que entrei na USP, eu queria fazer intercâmbio e a bolsa de estudos da AUSPIN me possibilitou isso. Não tem nada que eu me arrependa, faria tudo de novo."

 

A Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (AUCANI) e as unidades de ensino também oferecem oportunidades de intercâmbio. Nessa matéria você confere como realizar intercâmbio acadêmico pela ECA.