Coleção "Acadêmicas" reúne pesquisas realizadas por mulheres no PPGAC

Foi lançado no dia 13 de agosto a coleção Acadêmicas, resultado das pesquisas de três mulheres do Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas (PPGAC). Paula Atran, idealizadora e coordenadora do projeto, lança o livro de sua tese de doutorado O Pensamento Dramatúrgico de Augusto Boal. As Lições da Escola de Arte Dramática (EAD). As mestres Patrícia Freitas e Mariana Mayor, por sua vez, publicam suas dissertações Um Estudo Sobre o Trabalho de Augusto Boal no Exílio Latino-Americano e Triunfo Eucarístico Como Forma de Teatralidade no Brasil Colônia, respectivamente.

Todos as pesquisas foram orientadas pelo professor Sérgio de Carvalho, do Departamento de Artes Cênicas (CAC) e são lançados pela editora Desconcertos. Segue abaixo a sinopse das três produções:

O livro de Paula fala sobre a trajetória de Boal como professor de dramaturgia, sua passagem pelo Teatro de Arena, onde fundou o Seminário de Dramaturgia e sua ida para a EAD como primeiro professor da escola de dramaturgia em 1960 e de como essa trajetória resultou em seu livro mais famoso O Teatro do Oprimido.

O livro de Patrícia Freitas trata das peças escritas por Boal em seu exílio em países latino-americanos, nos conturbados anos de 1971 a 1976. Nessa fase, passada em países como Peru, Argentina, Uruguai e Chile, suas obras são mais pedagógicas e teorizantes. A pesquisa debate os impasses que caracterizaram  a nova posição do artista naqueles anos em que Boal ensaia diversas formas de atuação política por meio da arte.

O livro de Mariana Mayor fala sobre a celebração Triunfo Eucarístico – festa de cunho religioso e cívico, que comemorava a transferência do Santíssimo Sacramento da Igreja do Rosário para a Matriz de Nossa Senhora do Pìlar, no ano de 1773, em Vila Rica. O ponto de partida é o estudo dos modelos europeus em jogo e o processo pelo qual essas formas se aclimataram ao Brasil. A festividade é um estudo de caso que permite  discutir questões importantes da produção cênica do século XVIII, relacionada com a religião e a política do período.

No dia do lançamento, realizado no Bar e Teatro Cemitério de Automóveis, também foi lançada a cerveja artesanal Acadêmicas, feita por um coletivo de mulheres.