Como é falar de América Latina em uma instituição francesa

O professor Eduardo Morettin é visitante no Institut des Hautes Études de l’Amérique Latine (IHEAL), onde leciona aulas sobre o continente latino 

 

Todos os anos, o Institut des Hautes Études de L’Amérique Latine (IHEAL), vinculado à Universidade Sorbonne Nouvelle, na França, abre um edital para que professores dos quatros cantos do mundo possam lecionar e participar de atividades na instituição. O docente do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), Eduardo Morettin, é um dos visitantes desse semestre. 

Em conjunto com outros dois professores, o objetivo desse seleto grupo é propor uma visão inter-regional dos problemas atuais da América Latina, sob diferentes perspectivas, considerando a área de estudo de cada um. 

O professor Eduardo leciona duas disciplinas: uma com enfoque em cinema e história na América Latina e outra, de caráter metodológico, sobre o uso da imagem cinematográfica na pesquisa.

Uma das principais diferenças notadas pelo professor é a divisão dos cursos. Enquanto na USP as aulas costumam ser conjuntas para alunos de pós-graduação, na França os alunos de mestrado e doutorado são separados. 

Eduardo Morettin ministra aulas para a turma de mestrado, mas também realiza outras atividades, como palestras para alunos de doutorado. 

Sua atuação lá também se relaciona com o grupo de pesquisa do qual faz parte, intitulado Transatlantic Cultures. O projeto é financiado pela Fapesp e pela Agence Nationale de La Recherche. A equipe franco-brasileira busca desenvolver uma enciclopédia digital em quatro línguas (inglês, francês, espanhol e português) que busca entender as dinâmicas históricas e culturais do espaço atlântico (que compreende as Américas, África e Europa) e seu papel no processo de globalização. 

 

Foto: Youtube/ Conferência de abertura do III Simpósio Iberoamericano de Estudios Comparados (CIyNE, Universidad de Buenos Aires)