Corpo:

A Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) promove o programa + Arte + Cultura, iniciativa que faz parte do Programa Nascente e busca, entre os servidores da Universidade, trabalhos nos segmentos de artes plásticas, dança, música e texto. Os servidores docentes e técnico-administrativos poderão se inscrever no programa até o dia 17 de novembro no site da PRCEU.

Os finalistas do programa se apresentarão em um festival, ainda sem data definida, e os vencedores de cada área, escolhidos por júri e por voto popular, receberão o prêmio de 4 mil reais cada. Os demais finalistas ganharão menções honrosas. 

O Programa Nascente foi criado em 1990 com o objetivo de mapear e incentivar a produção artística e cultural dentro da USP, premiando os alunos de graduação, pós-graduação e servidores por seus trabalhos.

Para mais informações, consulte o regulamento completo no site do festival.

Corpo:

A Biblioteca da ECA anunciou esta semana a devolução de exemplares do seu acervo de teses já cadastradas na Biblioteca Digital de Teses da USP aos seus respectivos autores. Os interessados em recuperar seu trabalho, deverão entrar em contato com a Seção de Aquisição até o dia 21 de dezembro pelo e-mail ecabiblioteca.aquisicao@usp.br ou o telefone (11) 3091-4017.

 Antes da biblioteca digital, o autor deveria enviar à biblioteca dois exemplares impressos do trabalho: um exemplar para a guarda no acervo da biblioteca e outro para consulta dos usuários. Com a nova plataforma, é necessário o envio de apenas um exemplar físico, além do arquivo digital.  A Biblioteca da ECA conta atualmente com quase nove mil teses e memoriais em seu acervo.

 A lista de trabalhos disponíveis para a retirada pelos autores está disponível aqui

Corpo:

Nesta semana, filmes produzidos por três alunos do CTR foram selecionados para exibição em festivais internacionais de estudantes de cinema. 

Após passar em festivais na Hungria, Grécia, Uruguai, Espanha e Polônia, a animação Oceano, de Renato Duque, estará na Mostra Competitiva Internacional do XXXVII VGIK International Student Film Festival, que acontece na Rússia entre 13 e 17 de novembro. O filme conta a história de Luna, uma menina que após ver uma criança se afogar começa a questionar se deveria usar seus superpoderes para se tornar uma heroína.


Oceano, de Renato Duque

Também participando da Mostra Competitiva do XXXVII VGIK International Student Film Festival estará Rafael Dornellas, com Regresso. O filme conta a história de Francisco, que volta ao interior quando seu pai atropela e mata um homem e passa a ser ameaçado.

Por fim, o curta Seja Bem-Vindo, de Lucas Piloto, foi selecionado para a Mostra Competitiva Internacional do 16th International Student Film and Video Festival of Beijing Film Academy (ISFVF), que acontece na China entre 22 e 29 de outubro. O filme se passa em um almoço de Dia das Mães e conta a batalha de uma família para alimentar João, um bebê de seis meses, que se recusa a comer.

 

Corpo:

A Escola de Comunicações e Artes convida discentes e docentes para refletir sobre as implicações das representações na mídia e nas artes em relação à conjuntura e aos problemas que afetam as comunidades negras no Brasil, na primeira edição da Semana da Consciência Negra, que acontece entre os dias 21 a 24 de novembro.

A iniciativa faz parte da política pró-diversidade da ECA e enfocará esta temática geral articulada com questões como a violência e o genocídio da juventude negra; as territorialidades; medidas e políticas educativas como a Lei 10.639/2003; as políticas de ações afirmativas; a representatividade da população negra nos campos político e jurídico e também trabalhos que enfoquem de forma geral a afrodescendência na arte e nos meios de comunicação.

O evento conta com o apoio do NEINB (Núcleo de Estudos Interdisciplinares do Negro Brasileiro), do CELACC (Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação) e do NCE (Núcleo de Comunicação e Educação) da ECA.

Como participar

A Semana da Consciência Negra reunirá os interessados em mesas de diálogo com apresentações orais. Podem participar docentes e discentes de graduação ou pós-graduação da ECA que realizem projetos de pesquisa (em andamento ou trabalhos concluídos) relacionados à temática em debate. Quem tiver interesse em participar do evento deve enviar uma proposta de comunicação até o dia 5 de novembro para o e-mail:diversidadenaeca@gmail.com.

As propostas deverão conter: a) título do trabalho, autor(es)/a(s) e vínculo institucional (aluno/a de graduação, aluno/a de pós-graduação, docente, departamento/unidade), b) e-mail; c) resumo com até 15 linhas em formato word, fonte Arial, tamanho 12; d) três a cinco palavras-chave, separadas por ponto e vírgula.

Corpo:

A professora Marisa Midori Deaecto, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) recebe, no dia 16 de outubro, o título de Doutora Honoris Causa da Universidade Eszterházy Károly, em Eger, na Hungria.

“Eu não esperava. Eu me considero jovem demais para receber um título de Doutora Honoris Causa de uma universidade estrangeira desse porte. Por outro lado, trabalhei bastante, mantenho um contato duradouro com aquela região. Mas ainda ‘não caiu a ficha’”, disse a docente em entrevista ao Jornal da USP. Midori contou ainda que, desde 2010, desenvolve pesquisas sobre livros e bibliotecas antigas do Leste Europeu, tendo ministrado curso sobre a história do livro no Brasil na universidade húngara.


Marisa Midori, professora do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE). Foto: Leonor Calasans

Marisa Midori é graduada em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, onde também obteve os títulos de mestre, em 2000, e doutora, em 2016, em História Econômica. É professora do CJE, onde coordena o Grupo de Estudos História da Edição e das Práticas de Leitura no Brasil, vinculado ao Núcleo de Estudos do Livro e Edição (Nele), e professora credenciada no Programa de Pós-Graduação em História Econômica da FFLCH-USP. Atualmente, participa do programa Ano Sabático, do Instituto de Estudos Avançados (IEA).

Dedica-se a pesquisas sobre Economia e Cultura Urbana, tendo publicado livros e artigos voltados para esta temática. Com a obra O Império dos Livros: Instituições e Práticas de Leitura na São Paulo Oitocentista ganhou, em 2011, na categoria Melhor Ensaio, o Prêmio Sérgio Buarque de Holanda da Fundação Biblioteca Nacional, e o Prêmio Jabuti, em 2012, na categoria Comunicação.

Com informações do Jornal da USP