Corpo:

A Comissão de Relações Internacionais (CRInt) da ECA renovou convênio com a  Facultad de Ciencias de la Educación da Universidad Tecnológica de Pereira, pertencente a Universidad Tecnológica de Pereira (UTP) e localizada na cidade de Pereira, na Colômbia. A renovação está vigente até setembro de 2023, coordenada agora pelo docente Marciel Aparecido Consani, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA).


A Facultad de Ciencias de la Educación fica na cidade Pereira na Colômbia. Foto: Divulgação/UTP

O programa de intercâmbio contempla as áreas de comunicações, artes, música e turismo para graduandos, pós-graduandos, docentes, pesquisadores e da equipe técnico-administrativa. A universidade possui dois departamentos nos quais podem ser feitas as disciplinas de intercâmbio, a Escuela de Español y Comunicación Audiovisual, focada em comunicação, literatura, audiovisual e educação e a Escuela de Ciencias Sociales, focada em sociologia, antropologia, história e política.

De acordo com o coordenador Marciel Consani, os cursos oferecidos na universidade têm muitos pontos em comum com a Educomunicação, curso de graduação ofercido pelo CCA. As grades curriculares abordam audiovisual, produção de mídia na educação, cultura visual e etnoeducação. Na Colômbia, o curso é chamado de Licenciatura em Tecnologia com ênfase em Comunicação e Informação Educativa. Consani contou ainda que, por meio desse contato feito pelo convênio, serão realizadas aulas à distância com os alunos de Educomunicação e os professores da UTP. O objetivo é estabelecer cada vez mais networkings com universidades da América Latina, internacionalizando o perfil dos alunos.

Na Facultad de Ciencias de la Educación da UTP são oferecidas disciplinas ligadas à fotografia e à produção audiovisual. Foto: Divulgação/UTP

Luana Matsumoto, aluna de Turismo, realizou seu intercâmbio na Facultad de Ciencias de la Educación da UTP em 2015, durante 6 meses. “Ter tido a oportunidade de vivenciar a cultura Colombiana foi um dos maiores presentes em que fui apreciada. Entendi a expressão “cidadã do mundo”, e a levarei comigo enquanto houver a minha existência.”, disse Luana. Acrescentou que viajar para lá é um oportunidade de aproximação, de se enxergar um latinoamericano, reconhecer essa identidade, pois o Brasil está muito a parte do que a América Latina.

Ela conta que ampliou seu repertório com uma incrível bibliografia latinoamericana, e que no Brasil, não há o interesse de conhecê-la e a barreira linguística também prejudica. Segundo Luana, “O mercado de Turismo hoje na Colômbia está muito mais avançado que no Brasil, pensando que a Colômbia viveu um período de violência e que ninguém a visitaria por nada. A gente não tem estudos de caso em como a Colômbia superou esse período e recebe mais visitas que o Brasil.” Ela também elogia a paisagem, a tranquilidade das montanhas, as pessoas boas e as comidas típicas. Para saber um pouco mais sobre a experiência da aluna, acesse aqui o relatório de intercâmbio na íntegra.

 

 

"Esse é um dos principais restaurantes da Universidade. Uma coisa que amo na Colômbia é a cultura do grafite por todas as partes, e na Universidade não é diferente", conta a estudante de turismo Luana Matsumoto, que fez seu intercâmbio na UTP em 2015. Foto: acervo pessoal

 

A expectativa é que o edital seja divulgado no início de 2019, no site do CRInt, entre os meses de fevereiro a março, reabrindo a cada semestre. São propostas três vagas para estudantes de comunicação e três para alunos dos cursos de artes. Informações sobre como se candidatar a uma vaga de intercâmbio acadêmico no exterior estão dispóníveis aqui.

 

Corpo:

Foram prorrogadas até o dia 30 de outubro as inscrições de trabalhos para o SemioData 2018 – I Jornada de Comunicação, Semiótica e Big Data. O evento acontece no dia 30 de novembro no Auditório Paulo Emílio, localizado no segundo andar do Prédio Central, das 8h às 19h.

Organizado pelo professor Vinicius Romanini, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA), o objetivo do encontro é reunir trabalhos que debatem sobre o impacto do uso de dados nas relações, significados e na sociedade em geral, que cada vez mais depende do armazenamento e registros digitais. As áreas relacionadas com o evento são comunicação, linguística, filosofia, computação, artes, engenharia e ciências cognitivas e sociais.

Alguns dos principais tópicos abordados são, por exemplo: fake news, desinformação e pós-verdade na era do big data: a perspectiva semiótica e A interpretação de dados e a produção de sentido a partir do big data: a contribuição da semiótica.A programação inclui as palestras de Maria Eunice Quilici Gonzalez, professora da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP e Sergio Amadeu da Silveira, professor adjunto da Universidade Federal do ABC e membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). 

Os trabalhos aceitos serão divulgados até o dia 5 de novembro.

Serviço:
SemioData 2018: I Jornada de Comunicação, Semiótica e Big Data
Data: 30 de novembro
Horário: 8h às 19h
Local: Auditório Paulo Emílio, 2º andar - Prédio Central (Prédio 1)

Corpo:

No próximo sábado, dia 20 de outubro, acontece o lançamento do livro Roteiros em Radiojornalismo, de Luciano Victor Barros Maluly, professor de radiojornalismo do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), e de Rafael Duarte Oliveira Venâncio, ex-aluno da ECA e professor na Universidade Federal de Uberlândia. O evento será no Bar Villa Imperial, no bairro paulistano de Higienópolis.

Roteiros em Radiojornalismo discute conceitos e aponta novas técnicas para a produção de programas de radiojornais. “Por exemplo, algumas técnicas para desenvolvimento de programa de debates. Desde a escolha dos entrevistados até a forma como você estrutura o programa, como formula as entrevistas”, diz Luciano Maluly.

Ele afirma que tentou levar o conteúdo ensinado em sala de aula para facilitar o caminho para a produção de um programa em radiojornalismo. “O livro é como se fosse um guia, tanto para iniciantes no rádio, como para profissionais que desejam se reciclar ou que nunca trabalharam com rádio”.

Além do conteúdo, houve a preocupação com o formato e o tamanho do livro, que está sendo lançado com parceria da Amazon, que irá publicá-lo também no formato digital. Segundo o professor, eles não queriam fazer um livro maçante: “a gente foi editando para não ficar um livro de 300, 400 páginas. Para ser um livro um pouco mais sucinto”, explica o docente.


Capa do livro Roteiros em Radiojornalismo, de Luciano Maluly, docente do CJE e Rafael Venâncio. Imagem: Reprodução

Serviço:
Lançamento do livro Roteiros em Radiojornalismo

Data: 20 de outubro
Horário: 18h
Local: Bar Villa Imperial (Rua Maria Antônia, 368, São Paulo)

Corpo:

Um projeto de extensão da ECA está entre os 104 selecionados da primeira edição do programa Aprender na Comunidade, da Pró-reitoria de Graduação. Conduzido pela professora do Departamento de Comunicações e Artes (CCA) Lucilene Cury, Culturas Imigrantes foi idealizado com o objetivo de promover o afunilamento entre a cultura brasileira e haitiana através do cinema.

Voltado para os imigrantes haitianos residentes na cidade de São Paulo, a proposta visa a organização de mostras cinematográficas com a exibição e debate de filmes pertencentes à cultura desses povos como meio de resgate e manutenção do saber local, como explica Lucilene: “O projeto Culturas Imigrantes tem por objetivo colaborar no sentido de promover o resgate da cultura do povo haitiano, que se encontra em terras brasileiras, mais especificamente em São Paulo. Buscamos trazer a cultura cinematográfica do Haiti para a cidade, a fim de que essa população de imigrantes possa sentir-se em casa. Trata-se da abertura da Universidade para um povo que aqui vive, no sentido de propor sua inclusão cultural e social, além de oferecer um tipo de respiro nesse difícil cotidiano, através da arte, no caso, do cinema e do audiovisual”, conta a docente.


A iniciativa conta com o auxílio de alunos de graduação e pretende promover debates entre alunos do curso de audiovisual e imigrantes haitianos residentes em São Paulo. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Docente associada do CCA, Lucilene Cury é doutora em Ciências da Comunicação pela USP e atua nos campos das Ciências Sociais Aplicadas, da Comunicação e Educação. Questionada acerca da importância do Culturas Imigrantes para a Universidade, a professora comenta que o diálogo e a troca intercultural entre a USP e o público alvo do projeto é o produto de maior lastro para ambos os lados: “Pretende-se, ao mesmo tempo, trazer para a Universidade o saber e a cultura do povo haitiano, para que através de um diálogo entre todos, o conhecimento seja em si mesmo, alterado de modo significativo.”

Aprender na Comunidade

Criado pela Pró-reitoria de Graduação, o projeto Aprender na Comunidade é uma iniciativa que visa incentivar os alunos de graduação a desenvolver atividades fora da Universidade para fomentar e fortalecer o relacionamento da USP com a comunidade externa. Essa é a primeira edição do programa, na qual 104 projetos foram selecionados e irão receber verba de custeio para implementação. “Ficamos muito satisfeitos com a qualidade dos projetos inscritos. Essa é uma forma de conhecer e apoiar as atividades realizadas pelos alunos de graduação fora dos muros da USP, que dão visibilidade a tudo o que é desenvolvido aqui. Além disso, essas atividades incrementam a formação do aluno, já que, obrigatoriamente, estão relacionadas a uma disciplina e ao projeto pedagógico do curso”, disse a pró-reitora adjunta de Graduação, Maria Vitória Bentley, em entrevista ao Jornal da USP.

Os 104 selecionados foram divididos em três categorias, sendo 32 projetos específicos, 55 integrados e 17 consolidados. Os projetos específicos são projetos novos ou já existentes que envolvam um ou mais cursos de uma unidade. Já os integrados são programas novos ou já existentes que tenham impacto na comunidade e envolvem várias unidades. Por fim, os consolidados são projetos já regulares, que tenham grande impacto e envolvem vários cursos e unidades.

Para o pró-reitor de Graduação, Edmund Chada Baracat, “a USP está exercendo seu papel de transdisciplinaridade. Esse programa está alinhado à principal diretriz da Reitoria, que é fortalecer os laços com a sociedade. Essas atividades exercidas pelos alunos de Graduação levam a USP para fora de seus muros, mostrando o que é a Universidade principalmente para os estudantes do ensino fundamental da rede pública”.

 

com informações do Jornal da USP

Corpo:

A Revista Extraprensa abre a chamada para a submissão de artigos, resenhas, relatório de pesquisas e comentários científicos para a próxima edição, de dezembro de 2018. A revista recebe trabalhos até o dia 20 de outubro a respeito do tema Produção, circulação e fruição de bens culturais na América Latina.

Os textos devem abordar os fenômenos que envolvem os bens culturais latino-americanos, podendo dialogar com cultura e desenvolvimento humano, diversidade cultural e inclusão, acesso e espaços públicos.

Os artigos devem ser originais e inéditos, de autoria individual ou coletiva, de doutores ou mestres. Os trabalhos não originais serão aceitos somente em caso de edição esgotada ou tradução para uma língua diferente da original. Outras normas a respeito da formatação do texto, ilustrações e resumo podem ser conferidas no site da revista.