Congregação aprova projeto CRIATECA

A Congregação da ECA aprovou na tarde do último dia 13 de dezembro o projeto CRIATECA, programa arquitetônico desenvolvido para a requalificação da antiga sede do Sindicato dos Trabalhadores da USP (SINTUSP) e do espaço dos alunos. O projeto é resultado de nove meses de trabalho e envolveu a Direção da Escola, coordenadores de curso, professores e chefes de quatro departamentos, funcionários da Assistência Administrativa, representantes das entidades estudantis, além de uma equipe da Superintendência do Espaço Físico (SEF) e representantes da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA). 

Com mais de 900m² de área construída, o Edifício CRIATECA contará com salas para o Centro Acadêmico Lupe Cotrim (CALC) e para a ECAtlética, que já ocupam o local, e também espaços próprios para o Grêmio dos Funcionários, a BaterECA e o Canil. Uma das grandes inovações desta proposta agregadora é fomentar o desenvolvimento das agências juniores da ECA – ECA Jr., Jornalismo Jr. e Com-Arte Jr. O projeto prevê ainda salas de trabalho para outras duas agências, atualmente em projeto: o CBD Jr., dos alunos do curso de Biblioteconomia, e a CCA Jr., que irá abrigar estudantes do curso de Educomunicação. A agência do curso de Relações Públicas (em projeto), o projeto Rosa dos Ventos, vinculada ao curso de Turismo, e o projeto Redigir também ganharão salas de trabalho na CRIATECA.

“A ideia é proporcionar um espaço integrador e de uso coletivo que favoreça a criatividade, o desenvolvimento acadêmico e a inovação”, explica o professor Eduardo Monteiro, diretor da ECA. Com este mesmo objetivo foi mantido o espaço da lanchonete e criada uma confortável praça de convivência do lado de fora do edifício, com mesas e cadeiras cobertas que serão usadas pela própria lanchonete. A pedido das entidades estudantis, também foi incluída na versão final do documento uma área de vivência para os alunos, com dimensão semelhante à atual. O prédio irá abrigar ainda um auditório de 144 lugares, estúdios de gravação de som e imagem, ilhas de edição e uma área de estudos. “O auditório e os estúdios de gravação são antigas demandas prementes, reiteradas por todos os departamentos da ECA, sobretudo os de comunicação e, com este projeto, poderão ser finalmente atendidas”, explica Monteiro.


Com 900 m², o edifício CRIATECA irá abrigar salas de trabalho para as empresas juniores, projetos de extensão e entidades estudantis, vestiário para os funcionários, área de estudos, estúdio de gravação e um auditório com 144 lugares. Imagem: SEF-USP

A elaboração da proposta

Os trabalhos para a requalificação do espaço tiveram início em fevereiro deste ano, quando foi montada uma comissão formada por professores, servidores técnico-administrativos, representantes do CALC e da ECAtlética, além de funcionários da SEF, da Prefeitura do Campus e da SGA. Após visita técnica ao local, as equipes da SEF e da ECA identificaram vários problemas, como por exemplo, infiltrações no telhado do edifício e a necessidade de adequações na rede elétrica, indicando assim que fosse feita uma ampla reforma estrutural do espaço.

Em março, a SEF apresentou uma primeira proposta de requalificação do prédio. “Em nossa avaliação, o projeto inicial da SEF não contemplava nossas necessidades e demandas prioritárias”, explica Monteiro. “Era preciso ampliar o debate e ouvir um número maior de pessoas, a fim de compreender as reais reivindicações dos departamentos de comunicação, mas também da Escola como um todo”. Nesse sentido, foram realizadas várias reuniões com os chefes dos quatro departamentos de comunicação da unidade: o Departamento de Comunicações e Artes (CCA), o Departamento de Informação e Cultura (CBD), o Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP) e o Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) e os seus respectivos representantes nas Comissões de Coordenação de Curso (CoC), que apresentaram sugestões ao projeto tendo em vista, sobretudo, as necessidades acadêmicas do ensino de graduação. 

Após um encontro geral, que reuniu todos esses representantes e um estudante do Centro Acadêmico Lupe Cotrim (CALC), foi criada uma subcomissão, composta pelos professores Hugo Fortes, do CRP, Thiago Mio Salla, do CJE, José Fernando Modesto da Silva e Francisco Paletta, ambos do CBD. Essa subcomissão ficou responsável por finalizar os conceitos e premissas discutidos nas reuniões para serem então enviadas à SEF para que esta pudesse apresentar uma planta que atendesse a proposta da Escola. Com o conceito de espaço coworking e foco em inovação e criatividade, o Programa Arquitetônico da CRIATECA foi apresentado e aprovado pela Congregação da Escola em junho.


Conceito de coworking adotado em espaços de trabalho colaborativos, como é o caso do Armazém da Criatividade, em Caruaru, foi uma das referências adotadas no projeto CRIATECA. Foto: Divulgação/Porto Digital

Após período de adequações da proposta, como o aumento dos espaços destinados às empresas juniores, o projeto foi reapresentado aos mesmos grupos de trabalho citados acima, às empresas juniores e, em dezembro, à comissão de requalificação da prainha, quando ganhou novos ajustes, atendendo a reivindicações apresentadas pelas entidades estudantis. Finalmente, no dia 13 último, o projeto foi apresentado e aprovado pela Congregação da ECA.

Próximos passos

O projeto CRIATECA deverá tramitar ainda na SEF. Uma vez aprovado, será elaborado um edital para licitação do projeto executivo – que irá descrever, com os detalhes técnicos, toda a reforma, além de especificar os custos de cada uma das etapas da obra. Atualmente, no orçamento da SEF consta a previsão de gastos de aproximadamente R$ 1 milhão para a requalificação deste espaço. Após a contratação do projeto executivo, será feita nova licitação, desta vez para a execução da obra. A previsão é que todo o processo seja concluído em aproximadamente dois anos.

Clique aqui e acesse a planta do projeto CRIATECA em alta resolução.