Diversos alunos da ECA estão entre os vencedores do Programa Nascente

 

Criada em 1990, tradicional premiação do calendário anual da USP foi entregue em evento festivo realizado no Anfiteatro Camargo Guarnieri no dia 18 de outubro

 

A 27ª edição do Programa Nascente despertou o interesse de 694 estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade, que submeteram um total de 590 trabalhos nas categorias de Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Design, Música Erudita, Música Popular e Texto. Cada uma delas contemplada com uma gratificação no valor de R$ 4 mil.

O coordenador acadêmico do Nascente, professor Luiz Claudio Mubarac, do Departamento de Artes Plásticas (CAP) destaca o intercâmbio entre jovens artistas proporcionado pelo programa: “talvez mais importante que os prêmios seja o fato de as várias artes se encontrarem uma vez por ano, no mínimo, dentro do campus e em outros campi, para que a gente possa trocar uma série de informações que a contemporaneidade exige do fazer em arte.”

Paulo de Tarso Salles, docente do Departamento de Música (CMU) e parte da comissão julgadora das categoria Música Erudita e Música Popular, concorda. “Apesar de ser formalmente um concurso, vejo que o melhor do Nascente USP não é necessariamente o aspecto competitivo, mas justamente essa grande celebração e esse espaço de divulgação da arte”. Dentre os jurados do programa, a ECA contou ainda com a participação de Jean Pierre Chauvin, do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE), no júri da categoria Texto.

“Uma oportunidade, que eu considero singular, para descobrir novos talentos”. Essa é a definição do Nascente segundo a pró-reitora adjunta de Cultura e Extensão Universitária, Margarida Maria Krohling Kunsch, que é docente do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP). Cumprindo esse papel de vitrine para novos artistas, o calendário do Programa Nascente contou desde setembro com mostras de teatro, música erudita e música popular, além de um sarau literário e a exposição Visualidade Nascente, ocupando vários espaços da USP, como o Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) e o Teatro da USP (TUSP).

Os estudantes da ECA marcaram forte presença na edição deste ano, vencendo em várias categorias. Terra Tu Pátria, de Vicente Antunes Ramos, é um dos premiados de Artes Cênicas. A peça teatral parte de documentos recentes da história do país para abordar a política atual.  Na mesma categoria, Rafael Santos de Barros venceu com o monólogo El General, em que utiliza a improvisação para interpretar um soldado palhaço. A obra nasceu de seu TCC em Artes Cênicas na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e constitui a base de sua pesquisa de mestrado na ECA.  

El General, de Rafael Santos de Barros, durante apresentação na Mostra de Teatro Nascente, realizada no TUSP. Foto: divulgação PRCEU/Sandra Lima

Na categoria Texto, a aluna da EAD Isabela Egea Lisboa Lacerda foi premiada pela dramaturgia de A Última Gaivota, peça que se vale da metalinguagem para falar das relações entre arte e mercadoria. Criada em processo colaborativo com colegas de curso e tendo como inspiração A Gaivota, obra teatral de Anton Tchekhov, a peça também foi uma das finalistas da categoria Artes Cênicas e participou da mostra de teatro do Programa Nascente.

Fazendo uma combinação inusitada entre fagote e surdo no arranjo de Menina que vai à praia/Quem me deu foi Lia, Luiza Carvalho Tavares Alves uniu elementos da música erudita e da ciranda e venceu a categoria Música Popular. Oração, premiada na mesma categoria, é uma canção composta pela também ecana Gabriela Silveira de Andrade. O prêmio de Música Erudita foi para Jessica Gubert, que interpretou a Fantasia para Clarinete Solo de Jorg Widmann. Todas são estudantes do Departamento de Música (CMU). 

Mostra Visualidade Nascente. Foto: divulgação PRCEU/Camila Previato

Victor Maia ganhou nas Artes Visuais com as pinturas Disparate (confusão), Mangue e Sem título (porta do cemitério). E na categoria Audiovisual foram dois curtas premiados: Lua Mar, de Arão Nicolas Lopes Silva, Fillippo Pettinelli Balboni e Lucca Chiavone Alves; e Apneia, de Victoria Negreiros, Giuliana Lanzoni Tambellini, Júlia Dordetti Fávero e Luiza Garzeri Freire.

Até 17 de novembro é possível conferir os vencedores e finalistas das categorias Audiovisual, Artes Visuais e Design na Mostra Visualidade Nascente, em cartaz no Centro Universitário Maria Antonia.

Veja abaixo a lista completa de vencedores do Programa Nascente 2019:

 

Música Erudita

Jessica Gubert (ECA) – Fantasia para Clarinete Solo de Jorg Widmann 

 

Artes Cênicas

Rafael de Barros (ECA) – El General

Vicente Antunes Ramos (ECA) – Terra Tu Pátria

 

Música Popular

Gabriela Silveira de Andrade (ECA) – Oração

Luísa Carvalho Tavares Alves (ECA) – Menina que vai à praia /Quem me deu foi Lia

 

Audiovisual

Arão Nicolas Lopes Silva, Fillippo Pettinelli Balboni e Lucca Chiavone Alves (ECA) – Lua Mar 

Victoria Negreiros, Giuliana Lanzoni Tambellini, Júlia Dordetti Fávero e Luiza Garzeri Freire (ECA) Apneia 

 

Texto

Isabela Lisboa (EAD) – A última gaivota

Gabriel Schincariol Cavalcante (FD) – A história dos homens

 

Design

Karen Laurindo, Ah Ro Yoon, Luisa Vasconcellos Rodrigues, Nikolas Eisuke Suguiyama e Andre Junior Youn (FAU) – Eco Oca

 

Artes Visuais

Victor Maia (ECA) – Disparate (confusão) | Mangue | Sem título (porta do cemitério)