Do cinema ao teatro: professores do CTR dirigem peça de Michel Vinaver

A procura de emprego é uma peça escrita por Michel Vinaver em 1970 e que, neste ano, entrou em cartaz no SESC com a direção de Jean-Claude Bernardet, teórico, crítico de cinema e professor emérito do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão (CTR), e Rubens Rewald, roteirista, diretor, dramaturgo e professor do CTR. O espetáculo estreou no dia 4 de maio e pode ser conferido até o início de junho. No próximo fim de semana, a peça ainda fará parte da Virada Cultural de São Paulo, com apresentações gratuitas.

Vinaver é conhecido como autor de peças fragmentadas – não há pontuação no texto – que captam bem a contemporaneidade. Sua obra retrata um homem que faz entrevista de emprego, conversa com a filha e com a esposa simultaneamente. Todos os diálogos, no entanto, são em situações diferentes.


A peça fica em cartaz até o dia 10 de junho no SESC Santo Amaro. Foto: João Caldas Filho/Divulgação

Por que A procura de emprego?

A peça surgiu do interesse de Jean-Claude Bernardet por uma dramaturgia francesa calcada no texto, no jogo entre palavras, comum dos anos 1970, 1980. Rubens Rewald conta que, além de seu ofício no cinema, é dramaturgo de algumas peças de teatro que possuem essa questão de pesquisa de linguagem, de fragmentação e da busca de dramaticidade através de outros elementos.

Quando encontrou a obra de Vinaver, Bernardet fez uma primeira tradução e mostrou o trabalho a Rewald. “Eu fiquei por um lado encantado e, por outro, com raiva porque não fui eu que escrevi esse texto”, comenta, “e ele tinha essa fragmentação que eu buscava, junto com uma forte densidade dramática”.

O roteirista menciona que, a partir desse momento, tanto ele quanto Bernardet se dedicaram a uma tradução mais profunda: “ficamos meses trabalhando na tradução e foi publicada uma versão bilíngue português-francês pelo Consulado Francês e pela Imprensa Oficial”. O texto A procura de emprego: peça em 30 trechos = La demande d’emploi: piece en trent morceaux foi impresso em 2008.

Do livro ao palco

Em 2010, a companhia Teatro da Vertigem realizou uma leitura dramática do texto publicado por Rewald e Bernardet sob a direção de Antônio Araújo, professor do Departamento de Artes Cênicas (CAC). Eucir de Souza foi um dos atores que participou da leitura e que, neste ano, demonstrou interesse em encenar a obra. 

Rewald conta que propôs a ideia de montar a peça para Jean-Claude Bernardet que, a princípio, ficou receoso. A procura de emprego marca a estreia de Bernardet na direção teatral. “Eu tinha uma experiência maior em teatro e falei ‘vamos dirigir, temos total condição... ainda mais juntos’ e foi assim que começou”, conta o docente do CTR.

 

 

Cinema vs teatro

Ao comparar os trabalhos no cinema e no teatro, Rewald afirma que são muito diferentes devido aos elementos distintos que cada um possui. No primeiro, o processo é mais complexo: “você tem uma equipe muito maior com fotógrafos, operador de câmera, captação de sons, depois tem a montagem, a finalização, a edição de som...”

No entanto, nessa peça em especial, os diretores queriam realizar um trabalho “cru”: sem cenário, com luz simples e sem trilha sonora. “A gente queria dar para o espectador a sensação que o leitor tem ao ler a peça”, explica Rewald.

Bernardet concorda com essa grande diferença entre as artes. “Não é para fazer teatro que se estuda cinema”, afirma. Mas trabalhar como ator no cinema e ser frequentador de peças teatrais contribuíram para a direção de A procura de emprego.

Rewald diz que os elementos responsáveis pelo fascínio no teatro são dois: texto e ator. Ambos sem câmera, sem captação de som, sem montagem. “Essa coisa minimalista que o teatro permite foi o que nos guiou no trabalho de direção".

Serviço:
Peça A procura de emprego
Datas:  sextas, sábados e domingos até dia 10 de junho
Horários: sextas e sábados, às 21h*, e domingos, às 18h
Local: SESC Santo Amaro (R. Amador Bueno, 505, Santo Amaro)

*no dia 19 de maio haverá uma sessão extra às 23h30