Docente do CCA é eleita presidente da Associação Internacional de Críticos de Arte

No último dia 13 de novembro, Lisbeth Rebollo, docente do Departamento de Comunicações e Artes (CCA), foi eleita presidente da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA). É a primeira vez que o Brasil ocupa essa posição, a segunda da América Latina e a quarta vez que uma mulher ocupa o cargo desde o surgimento da associação.

A docente, que já foi presidente da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA), é formada em ciências sociais com mestrado e doutorado em sociologia pela USP, atuando principalmente nas áreas de arte contemporânea, arte brasileira e crítica de arte. Em nota, a ABCA celebrou a indicação de Lisbeth para o cargo: "ressaltamos a importância desta eleição, como a primeira brasileira a presidir a AICA, o que assinala a evidência que o Brasil e a América Latina assumem no cenário internacional," escreveu a entidade a seus associados.

A Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA) foi criada em 1948, em Paris, como um dos quadros da UNESCO, sendo um projeto cultural que visa aproximar os povos, reconhecendo as diferenças entre eles e da ética. Outro objetivo da AICA é assegurar que os trabalhos desenvolvidos pelos críticos possuam uma boa base teórica, protegendo-os dos interesses éticos e profissionais da classe, facilitando o intercâmbio internacional no âmbito das artes.


Lisbeth Rebollo é a primeira brasileira a ocupar o cargo de presidente da AICA. Foto: Cecília Bastos/USP Imagens