Engajamento em causa social é motivador para quem trabalha em ONGs; artigo faz parte de e-book do PPGCOM

No texto, aluna do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação discute o sentido do trabalho 

 

Quando o tema é trabalho no sistema capitalista, muitas discussões são postas em jogo. Para citar algumas, há a oposição entre a satisfação pessoal e o ganho de dinheiro e a presença ou ausência de fatores motivadores para realização de um ofício. Em artigo para o e-book Solidariedade na pesquisa e perspectiva de docência, a discente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCOM), Camila Acosta Camargo, fala mais sobre os sentidos do trabalho, no caso específico das chamadas ONGs de Comunicação. 

Camargo define as ONGs de comunicação como aquelas que "unem práticas historicamente vinculadas ao campo da comunicação à necessidade de atender demandas sociais diversas". São, por exemplo, organizações voltadas a práticas educomunicativas, ao jornalismo independente e à alfabetização digital. Nesse tipo de instituição, jornalistas, relações públicas e publicitários saem do campo da assessoria de imprensa ou marketing para serem membros ativos dos projetos em si. Ou seja, participam diretamente das atividades educacionais e sociais. 

A pesquisadora acompanhou três ONGs da cidade de São Paulo e se baseou nos enunciados institucionais e nos relatos dos trabalhadores para entender qual é o sentido do trabalho nesse tipo de organização. 

Durante as entrevistas aprofundadas que conduziu, Camargo notou a presença de um fator motivador determinante: o engajamento em defesa de uma causa social. Os trabalhadores se sentiam realizados profissionalmente por estarem executando funções de impacto social, com potencial de transformar a realidade. 

"A motivação e o engajamento não são movidos pelo sucesso do negócio necessariamente, mas sim pelo sucesso do 'impacto positivo' do trabalho sob uma problemática social", explica a autora.

O trabalho apresentado é parte de sua dissertação de mestrado, A comunicação do "terceiro setor" como expressão do neoliberalismo: as práticas discursivas e os sentidos do trabalho em ONGs de comunicação, defendida em 2018 e orientada pela professora Roseli Figaro, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA). 

O artigo na íntegra pode ser lido no e-book do PPGCOM, disponibilizado gratuitamente na página do Programa. A publicação tem o intuito de divulgar os trabalhos dos discentes da pós-graduação. 

 

Capa do e-book publicado pelo PPGCOM.