EAD promove o espetáculo Nhanhomoirumba: um panfleto-esquiva

A turma 67 da Escola de Arte Dramática (EAD) estreia, em 29 de junho, o espetáculo Nhanhomoirumba: um panfleto-esquiva, que fica em cartaz até 23 de julho. Sob a direção do professor José Fernando Peixoto de Azevedo, a peça visa elaborar uma posição política acerca das relações entre o Brasil e os índios.

A peça surgiu de um primeiro contato com materiais sobre a cultura e a vida indígena no momento atual, a partir da leitura de textos, livros e ensaios de autores como Ailton Krenak, Eduardo Viveiros de Castro e Davi Kopenawa. O contato com antropólogos trouxe, então, a possibilidade de a turma conhecer uma aldeia Guarani, a Kalepety, situada em Parelheiros, que permitiu, segundo o professor José Fernando Azevedo, um olhar não mais diluído em escritos, mas também baseado "na experiência do contato".

Com estas vivências, o grupo aproximou-se da mobilização política indígena atual e se interrogou acerca do significado atual das alianças, trazendo, ainda, o aspecto da esquiva, um modo Guarani de ir à luta, em uma espécie de junção de desvio e combate, mas que também representa uma forma de fazer política, baseada na elaboração de alternativas. Do primeiro tema, surge o título: Nhanhomoirumba aparece como a tradução da ideia de aliança para o Guarani, que, representa um significado de "aquilo que eu e você decidimos fazer juntos e fazemos como amigos". 

De acordo com José Fernando Azevedo, o espetáculo é dividido em três momentos: no primeiro, há uma elaboração da perspectiva do inimigo, "aquele que, ao olhar para o outro indígena, vislumbra violência"; no segundo, será realizada uma elaboração coreográfica de perguntas sobre o que significa "estar junto", também em sua dimensão política e no terceiro, será realizada uma conversa aberta entre o público e os atores a partir dos materiais trazidos, com a ideia de dar forma a essa tentativa de vínculo.  

O espetáculo é gratuito e será encenado até o dia 23 de julho de quinta a sábado, às 21h, e de domingo, às 20h, na Sala Alfredo Mesquita do Teatro Laboratório, com capacidade para 60 lugares. A bilheteria abre uma hora antes do início. 

Serviço:

Data: 29 de junho a 23 de julho

Horário: de quintas-feiras a sábados, às 21h, e de domingos, às 20h

Local: Teatro Laboratório (Prédio 8)

Rua da Reitoria, 215, Cidade Universitária